Archive | maio 2017

Entrevista com Moacir Soares, presidente da CTB/RN.

Anúncios

Direção do SINTSERP participa de curso de formação sindical

Os diretores do SINTSERP participaram no último final de semana de Curso de Formação Sindical promovido pelo Centro de Estudos Sindicais – CES em parceria com a CTB-RN. O encontro contou com as palestras da diretora de saúde da CTB-RS, Débora Melecchi, do advogado trabalhista, Cândido Souza e da secretária de Formação e Cultura da CTB nacional, Celina Arêas. O presidente da CTB-RN, Moacir Soares esteve presente e saudou os sindicalistas em nome da entidade classista.
O curso abordou temas como Trabalho e Saúde, Direitos Sindicais e Trabalhistas, Organização por Local de Trabalho (OLT) e Gestão Sindical Classista. Os debates ocorreram no auditório da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer do RN e contou com a presença de sindicalistas oriundo de entidades de vários municípios do RN.
O encontro consolida a organização do CES-Nordeste RN – que tem à frente o grupo de sindicalistas Verônica Batista, Francisca Elpídio, Mariza e Vascon – unindo o Rio Grande do Norte na perspectiva de um trabalho comprometido com a formação das bases em diversos sindicatos. O curso buscou formar dirigentes classistas, aprofundando o conhecimento sobre o movimento sindical, sua organização e estruturação de forma a contribuir com a luta dos sindicalistas no dia a dia das entidades que atuam.

Fonte: Sintserp

CTB/RN, participou de Audiência Pública que discutiu sobre aumento de passagem na Região Metropolitana.

O aumento da tarifa do transporte intermunicipal reuniu estudantes, empresários e agentes públicos na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (15), onde se concluiu que medidas mitigadoras devem ser pleiteadas junto ao poder público para reduzir os impactos.

No mês passado, houve aumento autorizado pelo DER entre 10% a 16% para a Região Metropolitana de Natal e 14,5% para o interior do Rio Grande do Norte. Propositora da audiência, a deputada Cristiane Dantas (PCdoB) ponderou:

“Precisamos que os critérios que definem esse aumento sejam mais transparentes. Estudantes e empresários estão reclamando exatamente disso. O aumento sempre gera impacto para quem utiliza o sistema de transporte e o poder público precisa colaborar com esse debate”, defendeu a deputada Cristiane Dantas.

Diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE) no Rio Grande do Norte, Gabriel Medeiros reclamou da falta de diálogo com o órgão deliberativo, o Departamento de Estradas e Rodagens (DER). “Há uma notável política de unilateralidade. As decisões são tomadas sem considerar as partes afetadas”, destacou.

Para o presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Moacir Soares, “Não há uma política do poder público que estimule reverter esse cenário. Os governos sequer subsidiam a tarifa como há em outras cidades”, reclamou.

Presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor), Eudo Laranjeiras também se somou à reclamação de trabalhadores e estudantes.

“Ninguém gosta de aumento. Esse que houve foi de reajuste anual. Mas precisamos perguntar ao Estado: ele vai desonerar os impostos sobre o setor para que possamos ter uma passagem mais barata para o usuário do sistema de transporte público?”, indagou o empresário.

Fonte: Portal da ALRN

CTB/RN – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil promove 4º congresso.

Evento estadual acontece nos dias 16 e 17 de junho, no auditório do SINPOL, em Natal

 

destaque

Foto: Arquivo

Depois da exitosa Greve Geral de 28 de abril, organizada conjuntamente com outras centrais sindicais, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB vai realizar o 4º Congresso da entidade no Rio Grande do Norte. O evento acontece nos dias 16 e 17 de junho, no auditório do Sindicato dos Policiais Civis – SINPOL, em Natal.

O tema do evento é “Democracia, Resistência e Luta”, e, segundo Moacir Soares, que é presidente da CTB no RN, “essa escolha faz parte um alinhamento entre os sindicatos filiados à Central para melhor direcionar a luta em defesa dos interesses dos trabalhadores”.

A organização do congresso estadual da CTB está a cargo de uma comissão formada por seis representantes de sindicatos filiados à Central, dentre eles, o SINDIPETRO-RN, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Confecções e o dos Servidores Públicos de Parnamirim.

Hoje, a CTB é a terceira maior central sindical brasileira em número de trabalhadores representados, No RN, a Central abriga 20 entidades sindicais, e até o período de realização do congresso, segundo Moacir Soares, mais cinco sindicatos deverão se somar a essa lista, que passará a contar com o Sindicato dos Servidores Públicos de Caicó, o maior de sua região.

Formação

Antecedendo o congresso estadual, a CTB realiza nos dias 20 e 21 de maio, em conjunto com o Centro de Estudos Sindicais – CES, um curso de formação político-sindical, A atividade está inserida no calendário nacional da Central e visa preparar os novos militantes e sindicalistas do Rio Grande do Norte para melhor organizar as lutas em defesa dos interesses da classe trabalhadora brasileira.

Fonte: Sindipetro/RN

Em Audiência Pública, sindicalistas apontam consequências da Reforma Trabalhista

 

O projeto de lei 6787/16, conhecido como Reforma Trabalhista, foi discutido na manhã de hoje (2) na Câmara Municipal de Natal, durante uma audiência pública proposta pelo vereador Sandro Pimentel (PSOL), que coordenou o debate. A reforma foi aprovada pela Câmara Federal no último dia 26 de abril, por 297 votos a 177. O texto principal do projeto foi enviado pelo presidente Michel Temer com o argumento de que a reforma flexibiliza e moderniza a legislação trabalhista no Brasil, reduzindo o número de ações e judiciais e impulsionando a abertura de postos de trabalho.

 

Porém, críticos da proposta veem nela um ataque aos direitos do trabalhadores. “Queremos desmistificar o que vem sendo dito de que é uma reforma benéfica. Ela vai aumentar o desemprego e a terceirização, retirando direitos dos trabalhadores”, declarou Rosália Fernandes, da executiva da Central Sindical Popular – CSPConslutas. Uma das principais reclamações está no ponto da reforma que fala do “negociado sobre o legislado” que, segundo os críticos, vai prevalecer sobre acordos coletivos ou sobre a legislação, de modo que o empregado ficará em desvantagem, visto que seria difícil para o empregado recusar propostas do empregador, mesmo que lhe prejudicasse, por medo de perder o emprego. “O patrão fecha acordo sem garantias, sem a interferência do sindicato, sem formalizar na justiça, sem defesa dos direitos da categoria”, reclamou Manoel Euflasino, coordenador geral do Sintest/RN. “Essa é uma forma do empregado se tornar refém do empregador porque não contará com os sindicatos e com a justiça, já que o quê decidir com o patrão valerá mais. Queremos que os deputados e senadores pensem melhor sobre as decisões que estão tomando porque os trabalhadores estão atentos”, completou o presidente do  Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB/RN), Moacir Soares.

 

Para Sandro Pimentel, a audiência de hoje apontou diversos pontos que comprometem os direitos trabalhistas com a reforma e que a população precisa tomar conhecimento e se mobilizar contrária a eles. “Em relação às horas de trabalho, ao trabalho intermitente que vai comprometer até a aposentadoria, enfim, lutas e conquistas de décadas que os deputados já derrubaram e que seguem agora para o Senado. Esperamos que os representantes entendam o retrocesso e o mal que isso vai trazer para a classe trabalhadora, mas também esperamos que os trabalhadores não aceitem isso”, destacou o propositor da audiência.

 

 

Texto: Cláudio Oliveira

Fotos: Marcelo Barroso

%d blogueiros gostam disto: