Archive | outubro 2015

Secretário da Educação do RN, Francisco das Chagas recebe CTB Educação

Secretário Francisco das Chagas recebendo delegação da CTB EDUCAÇÃO, encontro agendado pelo Presidente da CTB Moacir Soares. (na foto)

Na Trade de terça feira, 27/11 a CTB Educação foi recebida em audiência com Secretário da Educação Francisco das Chagas dialoga sobre a situação dos concursados SEEC 2011, o novo concurso e a situação da educação no Rio Grande do Norte.

O Secretário informou que a executora do próximo concurso vai ser o IDECANhttp://www.idecan.org.br/, Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional, como também não vai haver ponto de corte em relação a quantidade de aprovados, sendo este somente por nota.

IMG_0463

Obtivemos a garantia de que serão pagos 1/3 de férias em janeiro, que não vai haver retenção de aposentadorias e licenças prêmio, sendo que o Secretário Francisco das Chagas informou haver atualmente 1000 pedidos de aposentadoria e que para o ano o próximo concurso serão mais 3.000.

Afirmou ainda que atualmente não existem vagas e que as que existirem, serão preenchidas por concursados e concursadas do Edital 2011 enquanto houverem aprovados com o concurso dentro da validade, se comprometendo a chamar os concursados e concursadas do Edital 2015 somente após 26 de fevereiro de 2016.

IMG_0457

Acordamos buscar solução para os laboratórios de informática da SEEC/RN, através de visita ao setor responsável pelo PROINFO, buscando esclarecimentos sobre a situação dos laboratórios, levando casos específicos e solicitando encaminhamento para abertura dos espaços de inclusão social e utilização das TICS nas escolas, estaremos marcando com o setor responsável nos próximos dias.

Ficou acertado a realização de uma nova reunião para que a CTB EDUCAÇÃO entregue uma pauta com as reivindicações que temos com relação ao concurso e para a melhoria da educação do RN.

IMG_0462

A audiência de hoje foi agendada pelo Presidente da CTB Moacir Soares onde estiveram presentes os Professores e Representantes da CTB EDUCAÇÃO, Adna Cristina Menezes Alcântara de Oliveira, Alessandro da Silva Maia, João Maria Oliveira, Jocelin de Lima Bezerra, Marize de Vasconcelos, Olívia Florêncio de Carvalho e Renier Luiz Martins Mendes.

A CTB Educação mantém a mobilização e organização para garantir a contratação dos concursados SEEC 2011, e pela melhoria da educação no Rio Grande do Norte.

Fonte: Rádio Cirandeira

Anúncios

Trajetória do Sindicato dos Docentes da UFRN é referenciada em Audiência Pública na Assembleia Legislativa do RN

893a17ef26fa309816ca576626e749a1

A trajetória dos 36 anos de lutas, avanços e conquistas do ADURN-Sindicato foi referenciada em homenagem realizada na Assembleia Legislativa na manhã da sexta (23). A audiência pública proposta pelo deputado estadual Fernando Mineiro (PT) buscou colocar a luta dos docentes como centro de reflexão, debate e mobilização pela defesa dos direitos democráticos no interior da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e no conjunto da sociedade.

Os diversos pronunciamentos destacaram a importância da entidade, nascida no ano de 1979, no bojo do movimento pela redemocratização do país. “O Sindicato tem um papel fundamental na democracia, na luta pela melhoria do sistema educacional e no fortalecimento do sindicalismo”, disse Mineiro.

Para o presidente do Sindicato, Wellington Duarte, a comemoração de hoje representa muito para o movimento político e sindical, do Rio Grande do Norte e do Brasil. “Somos um dos maiores sindicatos do País e temos o dever de chegar a todos os professores e nos colocar como defensores de suas demandas, sejam sindicalizados ou não. Vamos continuar lutando por mais pluralidade, democracia pois a sociedade está sendo aviltada na luta por seus direitos”, afirmou o dirigente.

As lutas concretas da Comunidade Acadêmica, em particular do Movimento Docente, na busca de assegurar as condições essenciais ao exercício do serviço público: o reconhecimento, o financiamento responsável, a remuneração justa, boas condições de trabalho e, essencialmente, a autonomia funcional e a liberdade de organização sindical, foram de fundamental importância na conquista do Estado de Direito Democrático.

A vice-presidente, Gilka Pimentel, elencou a perseverança, a convicção, a superação, o diálogo e a aposta nas negociações como a marca principal do Sindicato, que é hoje, segundo a dirigente, “uma referência política da categoria em escala nacional e está presente em todos os momentos em que foi chamado para a inserção na luta política”.

Ao reafirmar a disposição para enfrentar os novos desafios, entre eles a luta, na atual conjuntura, em defesa da democracia, o secretário geral do ADURN-Sindicato, Guttenberg Martins, lembrou que, ao longo dessas mais de três décadas, as diferentes diretorias vivenciaram conjunturas políticas diferenciadas mas sempre como uma expressão concreta da categoria e participante ativo do aprofundamento da democracia na UFRN e no conjunto da sociedade.

O vereador Cabo Jeoás (PCdoB) disse que o momento era crucial para lutar pela pluralidade e democracia. Ao parabenizar a entidade pelo seu papel junto aos docentes e à própria sociedade, o secretário estadual de Esporte, George Câmara, afirmou que o ADURN-Sindicato além de defender as condições dignas de trabalho para os professores, que tem um papel estratégico na sociedade, se posiciona a favor da cidadania num momento em que há grandes embates nos planos político, econômico e ideológico. Ex-presidente do Sindicato, o professor João Bosco Araújo disse o surgimento da Adurn foi num momento simbólico, no final dos anos militares.

214_1863235ac57011425d8f4fc6e0587047

A sessão solene contou com a presença de parlamentares, da atual diretoria, professores, ex-diretores e líderes sindicalistas. Compunham a mesa de autoridades, além de Mineiro, o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte, a vice, Gilka Pimentel, o secretário estadual de Esporte e Lazer, George Câmara, o vereador de Natal Cabo Jeoás (PCdoB) e o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no RN (CTB/RN), Moacir Soares. O vereador de Natal Hugo Manso (PT) e o ex-deputado Júnior Souto também prestigiaram o evento.

214_01ed5a7c8d8d18da4c7e4e2b0ddb9be4

Fonte Adurn-Sindicato

vereador de Natal Hugo Manso (PT) e o ex-deputado Júnior Souto também prestigiaram o evento.

Contra a calúnia, UJS murcha mais dois bonecos infláveis em Natal

Em mais uma ação em defesa da democracia e contra a calúnia, militantes da União da Juventude Socialista (UJS) esvaziaram, nesta quarta (21),  mais dois bonecos com caricaturas ofensivas à presidenta Dilma Rousseff e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  A ação aconteceu em Natal, no Rio Grande do Norte.

 

 

Os bonecos infláveis estavam instalados na Praça da Árvore, no bairro de Mirassol, em Natal. No local, acontecia um esvaziado ato em defesa do afastamento da presidenta. Ao avistarem as caricaturas, os miltantes partiram para a contraofensiva, furando as peças caluniosas. Cinco jovens foram levados à delegacia.

A manifestação – na qual os bonecos eram escoltados por seguranças particulares – foi organizada pelos movimentos Força Democrática RN, Movimento Brasil Livre RN, Vem pra Rua e Nas Ruas.

Com mais esta ação, a UJS já contabiliza sete bonecos furados, mostrando que continua em alerta, contra a calúnia, mentira e a intolerância.  As primeiras investidas contra as caricaturas caluniosas aconteceram em São Paulo, no Distrito Federal, em Alagoas, em Pernambuco e na Paraíba.

Fonte: Portal Vermelho

Historiador revela mais provas de que Brasil foi descoberto no RN

Professor e historiador Lenine Pinto fez amplo estudo para defender tese de que país nasceu em Touros

54u3563

Duas mil milhas separam a cidade de Touros, no Rio Grande do Norte, a Porto Seguro, na Bahia. Mas poucos sabem que ambas possuem um ponto em comum: o descobrimento do Brasil. Pois é. A polêmica em torno do lugar exato onde Pedro Álvares Cabral desembarcou pela primeira vez no país voltará à tona nos próximos meses.

O professor universitário Lenine Pinto, historiador e responsável por uma ampla pesquisa em torno do assunto, está finalizando mais um livro, desta vez intitulado “O Bando do Mar”. Na obra, dará continuidade ao seu primeiro livro, que tornou famosa a polêmica tese de que o Brasil foi descoberto no Rio Grande do Norte.

No ano de 1998 Lenine Pinto publicou a primeira edição do livro, que tinha por título “A Reinvenção do Descobrimento”. Naquela época a publicação foi destaque nacional pela abordagem da temática do descobrimento, e rendeu ao professor a participação em diversas palestras e programas de televisão.

Em entrevista ao Portal Agora RN o docente afirmou estar animado com o novo trabalho, que ele já vem desenvolvendo desde 2007 e pretende lançar no próximo mês de novembro, durante um encontro de escritores em Natal.

“Neste novo trabalho pretendo apresentar aos leitores mais detalhes desse importante período de nossa história, detalhes estes que não estavam na primeira edição”, relatou.

Entre os pontos que o professor destaca como fundamentais para a tese da descoberta aqui no Rio Grande do Norte está o fato de Pedro Álvares Cabral, no dia em que implantou o Marco de Posse na praia de Touros, ter convocado todos os capitães para uma reunião em seu navio.

No encontro ele perguntou aos capitães se não seria conveniente enviar um navio de volta a Lisboa para contar ao rei Dom Manoel que eles tinham achado a terra. Ao saber da notícia, o rei de pronto já se dispôs a mandar, no ano seguinte.

Outro ponto que ele ressalta é que Pero Vaz de Caminha, ao descrever a descoberta da terra, disse que a primeira coisa que viu foi um monte alto e redondo, que seria o Pico do Cabugi, segundo a tese de Lenine Pinto. O Monte Pascal, na Bahia, é uma torre, é cortado e não tem pico. “Isso aí é um atestado claro do descobrimento aqui”, ressalta.

O professor também detalhou que o pau brasil nascia aqui no Rio Grande do Norte e se estendia até Cabo Frio, com uma interrupção na Bahia. “Em Porto Seguro não tinha Pau Brasil, muito menos açúcar, essenciais para a economia da época”, completou.

Reivindicação histórica

Questionado sobre a passividade de políticos do RN em reivindicar uma possível correção histórica sobre a descoberta do Brasil, o professor foi bem direto em sua resposta. “Os políticos do Rio Grande do Norte, em outro caso, entregaram a Pernambuco a Ilha de Fernando de Noronha; eles não têm interesse em ajudar a história, não ligam para o nosso registro”, desabafa.

Como benefício ao Estado por essa possível correção histórica, o educador prevê que a mudança poderia ajudar muito a atividade turística potiguar, gerando mais atratividade para o RN.

Fonte: Agora RN

Ameaça ao presidente dos comerciário do Rio, não mudará rotina de luta da instituição classista.

Marcio assina ficha de filiação à CTB - página 2“Não vão nos intimidar”, declarou o presidente do Sindicato dos Comerciário RJ, Márcio Ayer, sobre a ameaça de morte que recebeu por telefone na madrugada da última quarta-feira (14). “Sabemos que estamos incomodando muita gente poderosa que fazia uso da entidade sindical em benefício próprio, sem se importar com os interesses dos trabalhadores. Mexemos no vespeiro de um pessoal barra pesada e já esperávamos alguma reação. Vamos continuar fazendo nosso trabalho de defender os comerciários e lutar em defesa dos seus direitos,” destacou o dirigente.

O episódio foi noticiado pelo jornal Extra da última sexta-feira (16). Várias personalidades do mundo político e sindical fizeram declarações de apoio e solidariedade ao presidente, dentre elas as deputadas Jandira Feghali e Enfermeira Rejane, ambas do PCdoB/RJ, além da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil/RJ.

A data da ameaça coincidiu com o aniversário de um ano da intervenção judicial que tirou da direção da entidade um grupo que permanecia há quase 50 anos no poder. Está sendo investigado o desvio de mais de R$ 100 milhões nesse período. Para Márcio Ayer, isso mostra a gravidade da ameaça, mas reafirma que a ameaça não mudará a rotina de luta da entidade. “Felizmente, temos ao nosso lado uma diretoria muito unida, a própria categoria dos comerciários, o Ministério Público e a Justiça. Vamos continuar trabalhando como se nada houvesse acontecido”, avisa o presidente do Sindicato.

Há um ano os Mata Roma deixavam o Sindicato – Em 1966, em plena ditadura militar, Luizant Mata Roma assumiu como interventor a direção do Sindicato. Ficou no cargo por 40 anos, com uma gestão marcada pela falta de democracia e pelas fraudes para a manutenção do poder. Otton Mata Roma “herdou” o Sindicato com a morte do pai em 2006. Luizant construiu uma rede de serviços assistencialistas para poucos associados, nem todos comerciários. Otton nem isso. Nos oito anos em que ele esteve à frente da gestão, a entidade viu ruir seu patrimônio. O Sindicato deixou de manter, por exemplo, as delegacias sindicais da Tijuca, Méier, Madureira e Largo de São Francisco.

Os principais desvios – Em outubro do ano passado, o juiz Marcelo Moura, da 19ª Vara do Trabalho, decretou a intervenção judicial no Sindicato. A decisão pôs fim a uma fraude, pois os principais diretores nem comerciários eram. O próprio presidente afastado nunca trabalhou no ramo. É empresário, dono de empresas de táxi aéreo e outros negócios. Além de Otton, foram afastados o vice Raimundo Ferreira, o tesoureiro Juraci de Souza e o secretário-geral Gil Roberto Castro, todos com super salários acima de R$ 30 mil, cartão de crédito corporativo liberado e diversos parentes empregados no Sindicato.

O dinheiro do Sindicato era drenado por um esquema mafioso. Na auditoria que continua em andamento sobre a movimentação financeira da última gestão (2009-2014), foram identificados até o momento um rombo milionário de R$ 23 milhões nas contas bancárias; dívidas de R$ 45 milhões em impostos; R$ 10 milhões em despesas suspeitas com advogados; prejuízo de R$ 5,2 milhões por juros e multas de obrigações pagas em atraso; gastos pessoais dos dirigentes pagos pelo Sindicato, incluindo viagens ao exterior e estadas em hotéis de cinco estrelas; e muitos outros desvios e transações suspeitas. A cobrança da maior parte dos impostos e contribuições sindicais era feita por empresas possivelmente montada por membros da própria família Mata Roma, que exigia 45% sobre tudo que era arrecadado.

Não é possível contabilizar tudo o que foi desviado, pois os rastros de muitos desvios foram apagados, mas o prejuízo estimado é de pelo menos R$ 99 milhões desde 2009. Se apenas em cinco anos tanto foi perdido, é difícil imaginar o prejuízo acumulado nos 40 anos em que o Sindicato foi controlado pelo mesmo grupo.

Manifestações de solidariedade:

“Presto aqui a solidariedade de meu mandato aos 400 mil comerciários do Rio que, próximo de comemorar o seu dia, tiveram o seu presidente sindical, Márcio Ayer, ameaçado de morte. Márcio, força! Que a polícia identifique os criminosos e puna com o rigor da lei.‪#‎NãoPassarão” Jandira Feghali, deputada federal (PCdoB\MG)

Presto aqui a solidariedade e o apoio do meu mandato, ao presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer, pela ameaça de morte sofrida. É lamentável que a categoria dos comerciários, que está em luta em defesa dos seus direitos, ainda tenha que conviver com esse tipo de prática criminosa. Que a polícia identifique e puna os responsáveis. Enfermeira Rejane, deputada estadual (PCdoB\RJ)

Manifestamos nossa solidariedade à Márcio Ayer, sua família e todos os dirigentes e base social do Sindicato dos Comerciários. Os ataques feitos ao presidente da entidade atingem a todos nós e ao movimento sindical como um todo. A CTB está ao lado dos comerciários e seguirá firme na luta contra máfias que engessam e denigrem o movimento sindical. Tomaremos todas as medidas cabíveis e seguiremos fortes na luta por um movimento sindical classista, democrático e de luta. CTB – Rio de Janeiro

Fonte: Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindipetro/RN mobiliza categoria em semana decisiva para os trabalhadores da Petrobrás

destaque

Foto: Arquivo

A campanha reivindicatória dos trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás entra em momentos decisivos. Durante a semana em curso (19 a 23/10), o movimento sindical petroleiro deverá promover uma nova avaliação nacional, aferindo a disposição de luta da categoria e os eventuais avanços obtidos nas diversas frentes de atuação, inclusive, na parlamentar.

O objetivo das entidades é forçar a Petrobrás e o Governo a debaterem a “Pauta pelo Brasil” e reverem a metodologia com a qual pretendem conduzir o processo negocial. Interessada em impor diferenciações entre seus trabalhadores, a companhia insiste em fatiar as tratativas em diversas mesas, promovendo reuniões separadas com cada subsidiária.

A categoria petroleira não aceita a imposição de divisões e rechaça qualquer retrocesso em direitos econômicos, sociais e trabalhistas conquistados nos últimos anos. Os trabalhadores também entendem que a negociação com vistas ao estabelecimento de um novo Acordo Coletivo de Trabalho é inseparável da discussão sobre o papel da Petrobrás, uma vez que o atual Plano de Negócios e Gestão implica desemprego, perda de direitos e precarização das condições de trabalho.

Diante das inúmeras ameaças que visam transformar a Petrobrás em uma empresa segmentada, focada na produção e exportação de óleo cru extraído do pré-sal, os petroleiros e petroleiras defendem a manutenção da Companhia enquanto sistema integrado de produção e distribuição de energia, voltado para a promoção e o desenvolvimento econômico e social da Nação, com atuação em todas as regiões do País.

Calendário – Ainda no decorrer desta semana, a Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN deverá anunciar um novo calendário de assembleias e reuniões setoriais. A jornada estadual de mobilizações, recentemente realizada, esquentou o clima da campanha reivindicatória e demonstrou, mais uma vez, que os petroleiros e petroleiras norte-rio-grandenses estão prontos para reforçar a greve nacional da categoria petroleira. O Sindicato orienta a todos e todas a se manterem atentos pois os preparativos para a deflagração do movimento estão sendo ultimados.

Fonte: Sindipetro/RN

Audiência Pública na Assembleia Legislativa do RN homenageia aniversário da ADURN e o Dia do Professor

206_72d8d1d0266e25cce4bf3809fd820770

Em homenagem aos 36 anos do ADURN-Sindicato, comemorado no mês de agosto, e ao Dia do Professor, celebrado no último dia 15, será realizada uma audiência pública na próxima sexta, 23 de outubro, a partir das 9h, no plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado.

A proposição do deputado estadual Fernando Mineiro objetiva apresentar à sociedade a trajetória de lutas, avanços e conquistas da entidade e colocar a luta dos docentes como centro de reflexão, debate e mobilização pela defesa dos direitos democráticos no interior da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e no conjunto da sociedade.

“A celebração de aniversário do nosso Sindicato e do Dia dos Professores propicia a reflexão sobre a profissão e o protagonismo da luta do movimento no desenvolvimento da educação pública brasileira, através da democratização da Universidade, da luta pela valorização do professor, no incentivo tecnológico e na busca constante da melhoria da qualidade no ensino”, ressalta o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte.

As lutas concretas da Comunidade Acadêmica, em particular do Movimento Docente, na busca de assegurar as condições essenciais ao exercício do serviço público: o reconhecimento, o financiamento responsável, a remuneração justa, boas condições de trabalho e, essencialmente, a autonomia funcional e a liberdade de organização sindical, foram de fundamental importância na conquista do Estado de Direito Democrático.

Para Wellington Duarte, o movimento sindical protagonizado pelos professores durante a chamada transição democrática pode ser classificado como um dos principais fatos do cenário político nacional e da história da educação brasileira contemporânea. “Ele teve o mérito de chamar a atenção para a nova realidade da escola pública engendrada pelas políticas educacionais da ditadura militar”, afirmou o dirigente.

A nova composição social da categoria dos professores que emergiu da política de expansão quantitativa da escola pública, após 1971, e a consequente luta sindical por melhores condições de vida e trabalho foram a mais evidente materialização das profundas mudanças que a educação havia sofrido. A manifestação desse fenômeno significou a entrada definitiva da escola pública brasileira na época da educação de massas.

“Assim, sem esquecer anos anteriores, parabenizamos os Professores e reafirmamos a disposição para enfrentar os novos desafios, entre eles a luta, na atual conjuntura, em Defesa da Democracia”, enfatizou o professor Wellington.

Fonte Adurn-Sindicato

%d blogueiros gostam disto: