Archive | janeiro 2015

Iguana de três caudas é encontrada em sítio no interior do RN

Animal foi achado em uma árvore na tarde desta terça em Lagoa Nova.
Veterinária afirma que anomalia é rara, mas pode acontecer em répteis.

Do G1 RN

Animal foi achado no município de Lagoa Nova na tarde desta terça-feira (27) (Foto: Bárbara Azevedo/G1)
Animal foi achado no município de Lagoa Nova na tarde desta terça-feira (27) (Foto: Bárbara Azevedo/G1)

Uma iguana com três caudas foi encontrada na tarde desta terça-feira (27) no município de Lagoa Nova, a 198 quilômetros de Natal. A veterinária Sâmya Felizardo informou que é comum que alguns répteis consigam soltar a cauda para distrair possíveis predadores. As fotos foram enviadas ao G1 pela ferramenta VC no G1.

“Em algumas vezes a iguana não consegue desprender a cauda, fazendo com que ela se regenere e outra nasça. Encontramos com certa frequência a bifurcação. Com três caudas é mais raro, porém pode acontecer”, acrescentou a veterinária.

O coordenador de Agricultura da Prefeitura de Lagoa Nova, Wallace Frade explica que o animal foi encontrado no sítio em que sua cunhada, Bárbara Azevedo, mora. A iguana havia sido vista na região há cerca de 20 dias, mas só agora os moradores perceberam a anomalia.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.

Caudas causaram estranheza em Lagoa Nova, interior do Rio Grande do Norte (Foto: Bárbara Azevedo/G1)
Caudas causaram estranheza em Lagoa Nova, interior do Rio Grande do Norte (Foto: Bárbara Azevedo/G1)
Fonte: G1
Anúncios

Centrais sindicais promoveram ato público em Natal contra cortes do governo Dilma

“A vaca tossiu e nós vamos para as ruas”, diz presidente da CUT/RN

1380017_10200202331776381_2478546024354975141_n

Marcelo Lima

marcelolimanatal@yahoo.com.br

Líderes sindicais estiveram reunidos no cruzamento da rua João Pessoa com a avenida Princesa Isabel, no centro da cidade, para protestar contra as limitações de direitos promovidas no penúltimo dia do primeiro governo da presidente Dilma Rousseff. Curiosamente, muitas das centrais sindicais envolvidas na manifestação de hoje apoiaram a candidatura do Partido dos Trabalhadores (PT) nas eleições de 2014.

Para a chefe do Executivo Federal, as medidas são “ajustes necessários para a nova realidade social do país”. Mas os sindicalistas discordam. “Ela já deu uma punhalada na classe trabalhadora antes de assumir”, acentuou Moacir Soares, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) no Rio Grande do Norte.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Estado, José Rodrigues Sobrinho, disse que “a vaca tossiu e nós vamos para as ruas”. A declaração é uma resposta à frase da então candidata à re-eleição Dilma Rousseff ainda no primeiro turno. A petista queria fazer frente ao discurso de Marina Silva (PSB) que prometia flexibilização da legislação trabalhista.

O protesto em nível nacional servirá para pressionar o Congresso Nacional a não aprovar as Medidas Provisórias 664 e 665 editadas pelo governo Federal. “Elas ferem vários direitos históricos dos trabalhadores conquistados a duras penas”, classificou Moarcir Soares. O governo Federal promoveu mudanças no auxílio doença, auxílio defeso, pensão por morte, abono salarial, auxílio reclusão e o tempo de carência para a concessão do seguro desemprego.

Na ótica do presidente da CTB, a manifestação está sendo feita no momento político adequado. “Vamos mostrar para o novo congresso nacional, que toma posse próximo domingo, que a sociedade brasileira está insatisfeita. É um alerta aos novos parlamentares”, disse Soares.

Uma das justificativas do governo Federal para fazer mudança na concessão do seguro desemprego, por exemplo, é a grande quantidade de benefícios, mesmo com uma taxa de trabalhadores sem emprego formal (6,8%) muito próximo do nível considerado ótimo (5%). O auxílio defeso também é outro alvo frequente de denúncias de concessões irregulares.

O líder da CTB potiguar reconhece que pode haver esse tipo de fraude, mas as medidas corretivas deveriam ser outras. “Num país gigante como o Brasil, pode ser que alguém esteja usando de forma incorreta esses benefícios. Isso tem que ser corrigido, mas não mexendo na essência do benefício”, analisou.

Outro argumento para a mudança é a necessidade de equilíbrio das contas públicas especialmente neste ano. Mas isso também não convenceu os sindicalistas. “Devem ser feitos ajustes para melhorar, não para piorar. Se tem algum ajuste para ser feito, não é a classe trabalhadora que tem que pagar”, completou.

Apoio crítico

Apesar da denúncia pública de hoje à tarde por todo o Brasil, a maioria das centrais sindicais participantes do ato apoiaram a candidatura de Dilma Rousseff no ano passado. O presidente da CTB não vê contradição e nem motivo para arrependimento nessa situação. “Nós apoiamos claramente Dilma, mas não vamos apoiar caso ela mexa em nossos direitos. Nós apoiamos, mas não somos submissos. A crítica é fundamental para a construção de um projeto”, explicou.

Inclusive, ele lembrou que a militância trabalhadora nas ruas foi fundamental para a vitória mais apertada na história recente das eleições presidenciais. “Só por isso, ela deveria estar tratando a classe trabalhadora a pão de ló”, acrescentou Moacir Soares.

“A diferença da relação do governo Lula e Dilma é quilométrica. Lula recebia os trabalhadores de calças curtas”, disse sobre a proximidade entre os movimentos sociais e o ex-presidente. “Mas Dilma tem um certo bloqueio”, comparou.

Um dos aspectos desse “bloqueio” se traduz na relação com o funcionalismo público federal durante o primeiro mandato. “No governo Dilma houve um processo de judicialização do movimento trabalhista. Isso é ainda pior quando vem do setor público”, disse. Segundo Soares, antes mesmo do início de greves, o governo pedia o reconhecimento da ilegalidade do movimento pela justiça, uma posição que deixa as negociações ainda mais tensas.

Mesmo com esse quadro do primeiro mandato, o apoio da CTB foi para a candidata do PT. De acordo com o presidente da CTB/RN, a central entregou sua pauta de reivindicação a todas as candidaturas, mas a única que a integrou ao seu programa de governo foi a governista. “Tinha um projeto de país que era maior do que ela. Aqui no Rio Grande do Norte, a Central teve um posicionamento pela candidatura de Robinson Faria, mas o apoio é crítico. Vamos querer que ele cumpra o que prometeu”, disse.

CUT

Na principal central sindical do país, também houve a decisão pelo apoio crítico. Nascedouro do Partido dos Trabalhadores (PT), a Central Única dos Trabalhadores também vai participar do movimento. O presidente da CUT/RN acredita que alternativas poderiam ser tomadas para que o governo conquiste novamente o equilíbrio fiscal tão desejado para o ano de 2015. “Nós não temos nada a ver com a crise. Tem outras medidas que poderiam ser tomadas, como a taxação das grandes fortunas, a taxação sobre a remessa de lucro, a redução de juros”, sugeriu.

Rodrigues reconhece também que a relação com Dilma Rousseff sempre foi difícil nos primeiros quatro anos.”A CUT sempre teve uma relação arisca com Dilma. Foram estabelecidas algumas regras de convivência, ora se quebrava, ora se mantinha. Mas só não se esperava que ela não iria chamar os trabalhadores para discutir essa questão das medidas provisórias”, falou.

Durante as eleições, a candidatura que mais se aproximava dos trabalhadores, segundo ele, ainda era a do PT, mesmo com todos os problemas do primeiro mandato da mineira. “A esquerda brasileira não votou em Marina porque conhecia o passado dela”, avaliou.

Como janeiro é um período de férias, as centrais não planejam atrair um grande número de cidadãos. A expectativa da organização é que pelo menos os líderes dos sindicatos compareçam. Segundo José Rodrigues, as centrais articularão outras mobilizações de rua até o dia 22 de fevereiro, quando os movimentos locais culminarão com a Marcha Nacional das Centrais Sindicais. Ainda não há definição se este ato público ocorrerá em Brasília ou na cidade de São Paulo.

Também participaram do ato público de hoje a União Geral dos Trabalhadores (UGT), Intersindical e Força Sindical. Vale destacar que as centrais sindicais são entidades que congregam sindicatos e federações de várias categorias profissionais no intuito de fortalecer as lutas em comum dos trabalhadores.

Fonte: Jornal de Hoje

Natal: Centrais sindicais promovem ato público em Natal contra cortes do governo Dilma

65I635I3-1024x542

Líderes sindicais estarão reunidos no cruzamento da rua João Pessoa com a avenida Princesa Isabel, no centro da cidade, para protestar contra as limitações de direitos promovidas no penúltimo dia do primeiro governo da presidente Dilma Rousseff. Curiosamente, muitas das centrais sindicais envolvidas na manifestação de hoje apoiaram a candidatura do Partido dos Trabalhadores (PT) nas eleições de 2014.

Para a chefe do Executivo Federal, as medidas são “ajustes necessários para a nova realidade social do país”. Mas os sindicalistas discordam. “Ela já deu uma punhalada na classe trabalhadora antes de assumir”, acentuou Moacir Soares, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) no Rio Grande do Norte.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Estado, José Rodrigues Sobrinho, disse que “a vaca tossiu e nós vamos para as ruas”. A declaração é uma resposta à frase da então candidata à re-eleição Dilma Rousseff ainda no primeiro turno. A petista queria fazer frente ao discurso de Marina Silva (PSB) que prometia flexibilização da legislação trabalhista.

MPF denuncia ex-gerente dos Correios por empréstimos fraudulentos, peculato e simulação de assalto

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) apresentou uma denúncia e uma ação de improbidade, assinadas pelo procurador da República Kleber Martins, contra Naide Xavier de Souza, ex-gerente da agência dos Correios do Município de Boa Saúde. De acordo com as ações, entre 2009 e 2010 Naide Xavier se aproveitou da função que exercia para realizar pelo menos 59 empréstimos consignados em nome de beneficiários do INSS e se apropriar dos respectivos valores, o que teria rendido aproximadamente R$ 37.890, que atualizados equivalem a R$ 65.576.

No final do expediente de 11 de maio de 2010, ela se apropriou de toda quantia existente no cofre da agência, R$ 64.507,88 (R$ 106.959,83 em valores corrigidos) e, em seguida, telefonou para a Diretoria Regional dos Correios, em Natal, comunicando falsamente que teria ocorrido um assalto. A intenção, além de obter lucro ilicitamente, era utilizar parte do dinheiro para quitar alguns dos empréstimos fraudulentos, cujos clientes ameaçavam procurar as autoridades para denunciá-la.

Fonte: Blog do Robson Pires

Vice-governador do RN, Fábio Dantas recebe embaixador do Equador

fabio desenvolvimento

Na ausência do governador Robinson Faria (PSD), que cumpre agenda em Minas Gerais, o vice-governador Fábio Dantas (PCdoB) receberá hoje (28) em audiência o embaixador do Equador, Horácio Cevilla Borja. O evento está agendado para as 10h, na Governadoria.

Dia Nacional de Luta: Centrais vão ocupar as ruas nesta quarta-feira

Reunidos na última segunda-feira (26),  representantes das centrais sindicais CTB, CUT, CSB, Força Sindical, NCST e UGT definiram o trajeto do protesto desta quarta-feira (28) – Dia Nacional de Luta, quando serão realizados atos, mobilizações e greves por todo o país em defesa de emprego e direitos trabalhistas. A principal reivindicação dos trabalhadores é a revogação das medidas que alteram a concessão de benefícios previdenciários e trabalhistas, como seguro-desemprego e pensão por morte. Mas os trabalhadores também pedem a mudança no rumo da economia.

Em São Paulo, a concentração do Dia Nacional de Luta será no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, às 10h, e passará pela Petrobrás e pelo Ministério da Fazenda, onde serão entregues documentos das centrais com críticas às medidas de crescimento econômico adotadas pelo governo.

Também estão previstas manifestações conjuntas, até o momento, em Curitiba (PR), Florianópolis(SC), Belém (PA), Salvador(BA), Manaus(AM), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Fortaleza (CE), Natal (RN) e Rio de Janeiro (RJ).

Wagner Gomes, secretário-geral da CTB, lembrou que o ato de quarta-feira é uma preparação para a marcha prevista para 26 de fevereiro, em São Paulo. “A presidenta Dilma foi eleita com a plataforma e a política referendada inclusive pelas centrais sindicais. Não vamos aceitar calados medidas restritivas, que derrubam o crédito, o financiamento para pequenas e médias empresas. A consequência disso é o desemprego. As centrais apoiaram a política da presidenta, mas quem apoia também cobra, e é o que vamos fazer”, afirmou.

Gomes ressalta é fundamental a mobilização da classe trabalhadora, nesse momento, pois só a unidade de ação dos trabalhadores será capaz de impedir a retirada de direitos trabalhistas e previdenciários através das Medidas Provisórias nº 664 (pensão por morte e auxílio-doença) e 665 (seguro-desemprego, abono salarial e seguro-defeso), anunciadas no fim de 2014 pelo govenro federal.

Onofre Gonçalves, presidente da CTB São Paulo revela ainda que a intenção é entregar um documento aos representantes do Ministério da Fazenda e da Petrobras que tem, entre as reivindicações, a revogação das MPs que retiram os direitos. “Queremos a manutenção do diálogo com o governo. Para isto, as medidas devem ser retiradas ou revistas”.

As duas medidas provisórias (664 e 665), que dificultam o acesso a benefícios trabalhistas e previdenciários, estão sendo analisadas por grupos técnicos do governo e das centrais. A primeira reunião ocorreu na sexta-feira (23). Na terça (3), dirigentes das seis centrais envolvidas na negociação (CTB, CSB, CUT, Força, Nova Central e UGT) voltarão a se reunir com os ministros Rossetto, Nelson Barbosa (Planejamento), Carlos Gabas (Previdência Social) e Manoel Dias (Trabalho e Emprego). O encontro será novamente realizado no escritório da Presidência da República em São Paulo.

Confira agenda pelos estados:

Alagoas

Concentração às 9h, em frente à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, no calçadão do comércio, em Maceió

Bahia

Em Salvador, a manifestação será no Centro da cidade, com concentração ás 8h, em frente ao Sindicato dos Bancários e caminhada até a Superintendência Regional do Trabalho  – SRTE, onde acontece um ato político.

Ceará

Concentração às 8h, Na Secretaria Regional do Trabalho e Emprego, na Rua 24 de Maio, 78, centro de Fortaleza

Distrito Federal

Concentração às 14h, em frente ao Ministério da Fazenda, em Brasília

Goiás

Concentração às 8h, na Praça do Bandeirante, centro de Goiânia

Maranhão

Ato às 8h, em Frente à Delegacia Regional do Trabalho, centro de São Luiz

Mato Grosso

Ato às 9h30, em frente ao INSS, na Avenida Getúlio Vargas, em Cuiabá

Mato Grosso do Sul

Ato em frente ao Ministério do Trabalho, na Rua 13 de Maio, a partir das 7h. Em seguida, os manifestantes seguem para ato em frente à Caixa Econômica Federal, na mesma Rua, a partir das 9h

Minas Gerais

os mineiros realizam um ato na Praça Sete, centro da capital, para dialogar com a população. Durante o ato, que começará às 15 horas, as centrais sindicais distribuirão nota conjunta alertando sobre os ataques aos benefícios como seguro-desemprego, auxílio pensão e abono salarial, entre outros.

Pará

Concentração às 10h, na escadinha, no Boulevard Castilho França, em Belém

Paraíba

Haverá panfletagem na CBTU e na Lagoa Parque Sólon de Lucena, em João Pessoa, durante todo o dia

Paraná

Concentração às 10h, na Praça Santos Andrade, no centro de Curitiba

Pernambuco

Concentração às 8h, em frente à Superintendência Regional do Trabalho (SRT), na Avenida Governador Agamenon Magalhães, no bairro do Espinheiro, em Recife

Piauí

Panfletagem a partir das 7h na Praça João Luis Ferreira, no centro de Teresina

Rio Grande do Norte

63753_632444680197840_2561535513075774198_n

O ato acontecerá no calçadão da Rua João Pessoa com a Princesa Isabel, às 16h.

Rio de Janeiro

Concentração às 14h, na Central do Brasil, na capital

Rio Grande do Sul

Haverá vigília em frente da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, localizada na Av. Mauá, nº 1013, centro de Porto Alegre, a partir das 10h

São Paulo

Concentração às 10h, no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista. A manifestação passará pela Petrobrás e pelo Ministério da Fazenda

Sergipe

Ato às 8h, em frente ao INSS, na Avenida Ivo do Prado, em Aracaju

Portal CTB

SINDIPETRO-RN convoca assembleia para escolha da Comissão Eleitoral

Assembleias acontecem 23 de janeiro, com início às 18h, na sede do sindicato em Natal e na sub-sede de Mossoró

destaque

Foto: Arquivo

Com o objetivo de deliberar sobre a escolha dos membros da Comissão que conduzirá o processo Eleitoral para a escolha da nova diretoria do SINDIPETRO-RN, o Sindicato conclama a categoria petroleira do Rio Grande do Norte a participar, no próximo dia 23 de janeiro, em Natal e Mossoró, de uma Assembleia Geral Extraordinária.

As sessões deliberativas serão realizadas simultaneamente na Sede do SINDIPETRO-RN, situada na Avenida Prudente de Morais, 357, Petrópolis, Natal-RN, às 18h, em primeira convocação com a presença de metade mais um dos associados e, às 18h30, em segunda convocação, com qualquer número de associados presentes, e, na Subsede do SINDIPETRORN, situada na Rua Rodrigues Alves, 295, Paredões, Mossoró-RN, às 18h, em primeira convocação com a presença de metade mais um dos associados e, às 18h30, em segunda convocação, com qualquer número de associados.

Segue edital de convocação (clique na imagem):

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL
EXTRAORDINÁRIA

O Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte – SINDIPETRORN, através da sua Diretoria Colegiada, convoca todos os trabalhadores e trabalhadoras da categoria petroleira, em pleno gozo dos seus direitos e deveres estatutários, para participar daASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, no dia, horários e locais mais abaixo indicados para deliberar sobre a seguinte ordem do dia:

ITEM ÚNICO: Escolha dos membros da COMISSÃO ELEITORAL que irá coordenar os trabalhos do processo eleitoral 2015 deste SINDIPETRO-RN, conforme previsto no Art. 21 do Estatuto do SINDIPETRO-RN.

A referida Assembleia Geral Extraordinária será realizada simultaneamente na Sede do SINDIPETRO-RN, situada na Avenida Prudente de Morais, 357, Petrópolis, Natal-RN, no dia 23 de janeiro de 2015 às 18h00, em primeira convocação com a presença de metade mais um dos associados e, às 18h30, em segunda convocação, com qualquer número de associados presentes, e, na Subsede do SINDIPETRORN, situada na Rua Rodrigues Alves, 295, Paredões, Mossoró-RN, no dia 23 de janeiro de 2015 às 18h00, em primeira convocação com a presença de metade mais um dos associados e, às 18h30, em segunda convocação, com qualquer número de associados.

Natal (RN), 20 de janeiro de 2015

José Antonio de Araújo

Coordenador Geral

Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN

%d blogueiros gostam disto: