Archive | agosto 2014

DILMA FOI TÃO BEM QUE GLOBO ESCONDE


Mau Dia Brasil finge que Dilma não trucidou o Bonner.

vai-ou-racha

Como se sabe, o Mau Dia Brasil é o tele jornal (sic) mais chato da Globo.

Ele é uma vitrine com liquidação da moda da estação passada.

Esbalda-se em reproduzir “reportagens” do jn, do Fintástico.

Pois, não é que nessa terça-feira (19) o Mau Dia omitiu a surra que a Dilma deu no Bonner ?

Limitou-se a dizer que ela deu entrevista ao jornal nacional.

Mas, não mostrou o filé mignon: a surra.

Quem sabe o Gilberto Freire com “i” (*) desiste de chamar a Dilma para outros debates ?

É dar palanque pra ela …

Quem sabe ele desiste do último debate, com medo de a cilada ser um tiro no pé ?

Em tempo: quando a “reportagem” do Mau Dia se encerrou sem um resumo da surra que a Dilma deu no Bonner, o Chico Pinheiro não conseguiu esconder a perplexidade.

Paulo Henrique Amorim

(*) Ali Kamel, o mais poderoso diretor de jornalismo da história da Globo (o ansioso blogueiro trabalhou com os outros três), deu-se de antropólogo e sociólogo com o livro “Não somos racistas”, onde propõe que o Brasil não tem maioria negra. Por isso, aqui, é conhecido como o Gilberto Freire com “ï”. Conta-se que, um dia, D. Madalena, em Apipucos, admoestou o Mestre: Gilberto, essa carta está há muito tempo em cima da tua mesa e você não abre. Não é para mim, Madalena, respondeu o Mestre, carinhosamente. É para um Gilberto Freire com “i”.

Fonte: Conversa Afiada

TSE suspende propaganda paga no Facebook contra Dilma

De acordo com decisão liminar do ministro Tarcísio Vieira de Carvalho, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Facebook deve suspender, imediatamente, a circulação dos anúncios pagos na página de título “Já tirou voto da Dilma hoje?”, hospedada na rede social. O ministro também estipulou o prazo de cinco dias para que o Facebook apresente a relação dos nomes dos responsáveis pela contratação do serviço pago, com os dados constantes do seu cadastro, para que estes sejam notificados.

A decisão ocorreu com base em informações do próprio Facebook, segundo as quais “todos os conteúdos que contêm a inscrição ou o timbre “patrocinado” se trata de anúncios de pagamento realizado por um usuário”. Para o relator, tal situação, a princípio, aponta para a existência de propaganda eleitoral paga na internet, o que é vedado pela Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97, artigo 57-C).

O caso chegou ao TSE por meio de uma representação movida pela coligação “Com a força do povo” e pela candidata à reeleição Dilma Rousseff contra Aécio Neves, sua coligação, Muda Brasil, e também contra o Facebook.

De acordo com a representação, o administrador da página “tem utilizado ativamente do recurso publicitário fornecido pela rede social de patrocinar sua página, visando promover a mais ampla divulgação entre os usuários da rede mediante a remuneração do Facebook para tal”. Sustenta ainda que “a página faz uso explicitamente eleitoral de anúncios pagos direcionados para páginas do Facebook, que permite que os usuários da rede social saibam da existência da referida página e ingressem na já ampla rede de seguidores”.

Em relação ao Facebook, afirma que ele é o provedor de aplicações da internet e o único habilitado a identificar os criadores do perfil que administra a página com conteúdo eleitoral irregular. Já em relação a Aécio Neves e sua coligação, os autores argumentam na representação que “é impossível que desconheçam a propaganda que lhes é favorável, sobretudo pela ampla e irrestrita divulgação da propaganda eleitoral paga”. Aécio e sua coligação tem 48 horas para apresentarem defesa.

Fonte: TSE

CTB está de luto pela morte de Eduardo Campos

10574_2435240055765_1238026703_n

Eduardo-Campos-morte-luto-nota-de-pesar-psb

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) lamenta profundamente a morte de Eduardo Campos, 49 anos, candidato à Presidência da República pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), na manhã desta quarta-feira (13), após acidente aéreo na cidade de Santos, em São Paulo.

Além de Campos, morreram no acidente mais seis pessoas: os pilotos Geraldo Cunha e Marcos Martins, o assessor de imprensa Carlos Augusto Leal Filho, o fotógrafo Alexandre Gomes e Silva e ainda Pedro Valadares Neto e Marcelo Lira.

Considerado um político jovem, Eduardo Campos destacou-se como liderança de esquerda progressista sempre em defesa da democracia.

Para a CTB, a morte do socialista, que deixa seu nome gravado na política brasileira, representa uma imensa perda política por sua postura ética, histórico político e compromisso com a classe trabalhadora e a população brasileira.

Campos e o PSB – um partido comprometido inteiramente com a causa dos trabalhadores – possuem uma trajetória de luta sem dimensões no cenário político brasileiro e sempre foram grandes apoiadores da CTB, contribuindo inclusive para a sua fundação.

Campos que nasceu em 1965, na capital pernambucana de Recife, filho do poeta Maximiano Campos e da atual ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes, começou a vida política ainda como estudante universitário e se filiou ao PSB em 1990. No mesmo ano foi eleito deputado estadual. Apenas quatro anos depois foi eleito deputado federal.

Em 2004 assumiu o Ministério da Ciência e Tecnologia a convite do presidente Lula, sendo o mais jovem entre os ministros nomeados. Em 2005 assumiu a presidência nacional do PSB, e em 2011 foi reeleito presidente do partido, com mandato até 2014. Era candidato à presidência com Marina Silva como vice.

Foi governador de Pernambuco por dois mandatos consecutivos (2007-2014) e reeleito com 80% dos votos em 2010. Deixou o governo para disputar a Presidência da República, e ocupava o terceiro lugar nas pesquisas.

Toda a diretoria da CTB se une aos familiares, amigos, militância do PSB e milhões de trabalhadores abatidos pela morte de Eduardo Campos e das vítimas do acidente, lamentando a perda política que essa tragédia representa para o país.

A CTB está de luto.

FAMILIARES, AMIGOS E COLEGAS DE TRABALHO DERAM O ÚLTIMO ADEUS A ISAAC CAVALCANTE

image3Screenshot_2014-08-10-11-43-13

A manhã de sábado (09) amanheceu mais escura, nebulosa e transbordando em tristeza, um grande homem partia, Isaac Cavalcante, deixando no mundo terreno uma família desconsolada, bem como amigos, colegas e admiradores do seu trabalho mergulhados em uma saudade infinda.
A emoção pairava no ar. Seu corpo estava ali para uma última despedida das pessoas queridas e de uma grande multidão, mas sua alma já partira para os céus. Como era doloroso para aqueles que estiveram naquele instante onde as lágrimas eram incontroláveis, e a voz marcante de Isaac já não ecoava pelos quatro cantos de Currais Novos.
Na celebração, iniciada por volta das 8h, as palavras transparecidas de nenhuma forma conseguira confortar os corações, a partida foi rápida. Em seguida, houve o seu sepultamento, às 10h30min, no Cemitério de Nossa Senhora de Fátima, um dos momentos mais difíceis, era o adeus definitivo e o lugar no qual o seu corpo descansaria.
Dono de uma voz inconfundível, Isaac era um profissional completo, repórter de pista, apresentador, narrador de futebol, locutor de rádio, locutor de campanhas eleitorais, apresentador de cerimoniais, além de apresentar também o quadro Solidariedade da Sidy’s TV a Cabo, sendo este um dos trabalhos que mais marcaram sua vida profissional.
Isaac Cavalcante, um ser humano íntegro, profissional dedicado, amante da comunicação, deixou esposa e três filhos. Fica, então, uma saudade inenarrável e insubstituível de um filho, esposo, pai e amigo conhecido e querido em toda Currais Novos.

Fonte: Jean Souza

%d blogueiros gostam disto: