Archive | maio 2013

Curraisnovense participa de Congresso da UNE

O jovem universitário Anderson Alves, presidente do PCdoB de Currais Novos, viajou a cidade de Goiânia, onde participará do 53º Congresso da União Nacional dos Estudantes.

Em contato com o Blog, ele adiantou que defenderá pautas de interesse para o desenvolvimento da educação da região do Seridó.

Fonte: Blog do Vlaudey Liberato

MARINHO CHAGAS, O `DIABO LOIRO´ DOS GRAMADOS VOLTA A SER HOSPITALIZADO

   942329_3112044175445_2124906851_n

Francisco das Chagas Marinho, ou simplesmente Marinho, ex-jogador de futebol que atuou como lateral-esquerdo pelo ABC de Natal, Náutico, Botafogo, Fluminense, São Paulo e Seleção Brasileira, sendo considerado o melhor lateral  da Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, volta a ser hospitalizado.

Com problemas pulmonar, Marinho está internado na UTI 1 do Hospital São Lucas, em Natal. O seu estado de saúde é delicado. Uma pessoa ligada a ele, segundo se comenta nas redes sociais, disse que além do problema de saúde o ex-craque está enfrentando dificuldades financeiras, pois o único pró-labore que tinha como “Embaixador da Copa em Natal’ a prefeitura cortou.

Uma campanha está sendo feita no twitter para arrecadar dinheiro para ajudar Marinho Chagas. Apelos estão sendo feitos ao prefeito da capital potiguar, Carlos Eduardo Alves, para que a prefeitura volte a pagar Marinho como “Embaixador da Copa”, uma ajuda de apenas R$ 1,2 mil/mês, que certamente não irá fazer falta ao erário público.

Foto reproduzida da internet

 Fonte: Blogdobarbosa

Fotógrafo que registrou Herzog morto retorna ao Doi-Codi

O fotógrafo responsável pela foto de Vladimir Herzog enforcado nas dependências do Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna (Doi-Codi) visitou nesta segunda-feira (27) a sede do órgão onde eram torturados os presos políticos do período da ditadura militar e onde a foto foi feita. Silvaldo Leung Vieira vive nos EUA para onde viajou três anos depois de ter feito a fotografia.

 

 

 Após mais de 37 anos, o ex-fotógrafo Silvaldo Leung Vieira não conseguiu reconhecer o local exato da cela em que o corpo foi encontrado.

Na época do registro, ele tinha acabado de completar 22 anos e era aluno do curso de fotografia da Polícia Civil havia 17 dias. Pensando ser parte de um treinamento, ele foi levado até o local com a orientação de registrar um encontro de cadáver, termo técnico utilizado até hoje.

Durante a visita, que precede sua presença para depoimento da Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo, Silvaldo percorreu as celas e salas de tortura para tentar reconhecer o local onde o corpo de Herzog estava naquela ocasião, mas devido ao tempo passado (quase 38 anos) e às mudanças e reformas feitas no DOI-Codi, ele disse não ter reconhecido. A única confirmação foi o portão de ferro e o muro altos por onde o carro que o conduziu passou.

“Não reconheço nenhuma das salas do interior do prédio, mas tive a informação de que tudo foi mudado. Na minha concepção era um lugar escuro, com um muro alto e um portão de ferro também alto. E da sala a única coisa que eu lembro é que a janela ficava em frente à porta. Eram alas e se percebia que havia celas de um lado e do outro. Foi uma passagem muito rápida, não me locomovi no local”, disse Silvaldo.

Silvaldo contou que fazia parte de um grupo de 21 alunos que foi disponibilizado para o DOI-Codi quando foi convocado para fazer a foto. Como residia em Santos e estava em São Paulo especialmente para fazer o curso, não conhecia nada da cidade e quando foi escolhido para ir ao DOI-Codi não sabia para onde estava indo. Ele lembrou que ao chegar no local sentiu muito medo e percebeu que algo errado estava acontecendo, mas, para se preservar, não disse nada.

“Eu não sabia quem eu estava fotografando, mas soube depois por meio dos comentários e movimentação no campus da USP [Universidade de São Paulo], onde era o curso e eu tinha um dormitório para passar a semana. Aquela foi uma semana na qual houve muitas reuniões na USP e como nosso curso era lá eu frequentava os mesmos lugares onde os movimentos eram feitos. Eu ouvi todos os tipos de comentários. E ouvi também de pessoas ligadas à segurança”.

O fotógrafo explicou que ao tirar a foto o que lhe chamou a atenção foram os dois pés de Herzog encostados no chão, o que não é comum em casos de suicídio por enforcamento. “Uma fotografia que aparentemente era um treinamento passou a ser algo ultra sigiloso. A orientação era que não comentássemos absolutamente nada que tínhamos visto. Quando surgiu a foto, eu falei que eu tinha fotografado o caso e nós [amigos com quem comentou] ligamos as peças”.

Um tempo depois, Silvaldo foi convocado para voltar ao prédio para fazer a foto do operário Manoel Fiel Filho morto. Mas a foto não chegou a ser feita por ele, pois ao chegar no DOI-Codi Silvaldo comentou que já havia estado no local e que ali aconteciam coisas estranhas. “Isso foi praticamente no final do curso. Eu já estava mais calmo, mais preparado. Quando cheguei e fiz esses comentários, me tiraram de lá antes de eu ver alguma coisa e eu nem fiz a foto”.

A foto não foi marcante apenas para a história do país e do período de repressão política, mas foi decisiva para que Silvaldo resolvesse se mudar definitivamente para os Estados Unidos, por ter se decepcionado com a falta de democracia do país. “Logo depois da foto eu resolvi me mudar mas como todos naquela época precisei juntar dinheiro para pagar o depósito compulsório para o país que era obrigatório na época e para comprar a passagem. Cheguei em Los Angeles com US$ 500, mas consegui um emprego logo e sobrevivi”.

Apesar da paixão pela fotografia Silvaldo não trabalhou na área nos EUA. Segundo ele, por questão de sobrevivência aproveitou a oportunidade que teve para aprender a fazer joias e com isso se manteve durante 25 anos. “Hoje trabalho em um abrigo para mulheres solteiras ou mães solteiras patrocinada pela igreja católica. Não voltei mais a trabalhar com fotografia”.

O vereador de São Paulo e presidente da Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo, Gilberto Natalini, que foi preso e torturado no DOI-Codi por dois meses, disse que quem sofreu tortura não consegue esquecer. “Nós tentamos sufocar mas é muito sofrimento. Só quem passou tem ideia do que é o sofrimento do que nós vivemos nesse pedaço de São Paulo, do Brasil”. Mesmo assim ele reforçou que momentos da história como esse não se pode esquecer. “Não é masoquismo, é um problema de reconstruir a história, ampliar e defender a democracia porque isso aqui era o portal do inferno”.

Fonte: Agência Brasil

 

 

 

O petróleo é nosso!

petroleo
A luta em defesa do petróleo brasileiro e da Petrobras 100% estatal reúne centrais sindicais no RN.

por Coletivo Foque | Fotos: Rogério Marques

Nesta quinta-feira, representantes da Cut, CTB, CSP-Conlutas e CGTB se reuniram na sede da CTB, em Natal, para debater sobre a campanha em defesa do petróleo brasileiro, uma das maiores riquezas do país.

Um dos objetivos da luta é denunciar e combater os leilões de petróleo. Um abuso cometido pelo governo FHC com a finalidade de fatiar a Petrobras e entregar esse patrimônio nacional às multinacionais, que são beneficidas com as cobiçadas concessões. Essa prática continuou no governo Lula e agora com Dilma Rousseff.

Está em jogo a soberania nacional e bilhões de recursos públicos que deixarão o país para satisfazer interesses alheios ao do povo brasileiro.

→ Confira entrevistas com as centrais sindicais:

Homem mata mulher com 25 facadas para ficar com a sogra

Célia confessou que mantinha um relacionamento com o genro…

Crédito: RICA comerciante Jéssica Carline Ananias da Costa, de 22 anos, mãe de uma menina de 4 anos, foi assassinada com 25 golpes de faca desferidos pelo próprio marido, o bacharel de Direito Bruno José da Costa, de 26.

Mas, o mais surpreendente é que a própria mãe da vítima, Célia Forti, de 48 anos, teria ajudado a planejar o assassinato para ficar com o genro.

A revelação foi feita pelo delegado-chefe da 17ª Subdivisão Policial de Apucarana, Ítalo Sega, depois que o assassino confessou que a traía a esposa com a sogra já fazia quatro anos, que ela “sabia de tudo” o que ia acontecer à filha e que o crime vinha sendo planejado há dias.

O crime aconteceu no dia 9 na casa do casal, na Rua Nossa Senhora da Conceição, no bairro Igrejinha, zona sul de Apucarana. Bruno confessou que a ideia era simular um latrocínio.

Célia nega que tenha ajudado a planejar o assassinato da filha, mas confessa que mantinha um relacionamento com o genro.

Porém, familiares e amigos de Jéssica afirmam que durante o velório a mãe ficava ao lado do caixão, passa a mão no rosto da filha, mas não levantava o rosto para encarar as pessoas.

Bruno José da Costa está preso, mas a amante permanece em liberdade por ter passado o prazo do flagrante.

Fonte: Uol

ESTUDANTES DEFINEM NOVOS ATOS CONTRA AUMENTO DE PASSAGENS

 

estudantes busao

Os estudantes retornaram às ruas de Natal para, mais uma vez, protestar contra o reajuste na tarifa do transporte público coletivo que entra em vigor a partir deste sábado (18). Ontem à tarde, um grupo composto por menos de mil estudantes fizeram uma passeata pelo Centro da cidade. Saíram do Baldo, foram à Prefeitura e encerraram o manifesto na Câmara dos Vereadores. Diferente do que ocorreu na última quarta-feira, ontem não foram registradas cenas de repressão por parte da polícia nem badernas promovidas pelos componentes da “Revolta do Busão”.

As entidades estudantis se reúnem hoje em assembleia para decidir sobre novas mobilizações. A passeata de ontem foi promovida por entidades estudantis de Natal. Organizaram o movimento a União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (Umes), Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (Apes), União Nacional dos Estudantes (Une), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e o DCE da UFRN. A participação das entidades desagradou alguns componentes da “Revolta do Busão”. O grupo dissidente da maioria afirmava que o manifesto contra o aumento do valor da passagem de ônibus é do povo, e não de uma classe apenas.

Tribuna do Norte

 

Reunião entre FINDECT e Presidente da ECT traz respostas à categoria

No dia 16 de Maio a Diretoria da FINDECT se reuniu com o Presidente da ECT no Edifício Sede dos Correios em Brasília. O encontro teve início às 14 horas e se prolongou durante uma hora e meia. Estiveram presentes representantes da diretoria da FINDECT, José Aparecido Gimenes Gandara, Ronaldo Ferreira Martins, Elias Cesario de Brito Junior e José Aparecido Rufino, o Presidente da ECT Wagner Pinheiro de Oliveira, o Vice-Presidente de Gestão Pessoal Larry Manoel de Almeida, o Chefe de Gabinete Adeilson Ribeiro Telles, José Oliberio Alves e Janete Ribas de Aguiar do DERET. Foram abordados diversos assuntos de interesse dos trabalhadores ecetistas. A Federação encaminhou uma série de ofícios que descrevem e alertam a direção sobre as demandas urgentes que devem ser resolvidas pela Administração dos Correios.

1- Postal Saúde (Ofício FINDECT-029/2013 página 1 e 2
O Presidente determinou ao VIGEP que marcasse uma data para realizar exposição do Postal Saúde à direção da FINDECT. Após conhecermos os detalhes iremos repassá-los aos trabalhadores para que uma posição seja tomada sobre o tema.
2- Diárias (Ofício FINDECT-030/2013)
O VIGEP informou que o módulo 29 do MANPES já foi revisado e será enviada cópia sobre os estudos que serão encaminhados para Diretoria Executiva da Empresa à FINDECT.
3- Entrega Matutina (Ofício FINDECT-031/2013)
O Presidente disse que nos locais onde foi implantada a entrega matinal houve uma aprovação por parte dos carteiros. Acatou nossa sugestão e irá determinar que se implante em outras unidades, dando prioridade às regiões com maior índice de temperaturas elevadas, assim como irá fornecer os documentos relativos ao estudo.
4- Anistia (Ofício FINDECT-032/2013 página 1 e 2)
A VIGEP e a VIPAD irão realizar levantamento dos casos que já foram deferidos e dos ainda indeferidos, assim como irão analisar a questão dos salários com relação as progressões, promoções, anuênios, IGQP, etc.
5- POSTALIS (Ofício FINDECT-033/2013 página 1 e 2)
Irá ser agendada a data para que o Presidente do POSTALIS, representantes da FINDECT e da Direção Central dos Correios se reúnam para discutir o equacionamento do déficit e as ações judiciais.
6- Contratações Regionais/Concurso Público (Ofício FINDECT-034/2013 página 1 e 2)
O Presidente e o VIGEP informaram que pretendem realizar em breve um novo concurso, de preferência de caráter regional, para que sejam repostas todas as vagas oriundas de demissões, assim como mais três mil vagas.
7- Recrutamento Interno e Nomeações (Ofício FINDECT-035/2013)
Foi determinado ao VIGEP para que realizasse um levantamento de quantos cargos de nível político existem na empresa, assim como devem reavaliar os critérios dos RI’s principalmente quanto à Análise ou Avaliação de Perfil.
8- ITF-GPTF-FAG-FAO-FAT (Ofício FINDECT-036/2013)
O Presidente acatou o pedido da FINDECT e irá enviar uma lista com a matrícula e os valores pagos.
A FINDECT, assim como seus Sindicatos filiados SINDECTÉB/BRU, SINTECT/SP, SINTECT/RJ, SINTECT/RN, SINTECT/TO e SINTECT/RO, estão aguardando a chegada dos documentos e das reuniões agendadas para resolução dos casos. Lembrando que para passar mais informações aos companheiros ecetistas é necessário que aguardemos os pedidos e ordens emitidos pela Presidência.
NOVO ENCONTRO ENTRE A DIRETORIA DA FINDECT x PRESIDENTE DA ECT
Dada a importância dos assuntos tratados bem como outros temas relevantes como CONDIÇÕES DE TRABALHO, PCCS, SEGURANÇA, o Presidente da Empresa, se dispôs a agendar nova reunião em data a ser definida.

 

%d blogueiros gostam disto: