Archive | fevereiro 2013

Funcionário chamado pelo chefe de ‘porqueirinha’ é indenizado, diz TST

 

 

Trabalhador do Paraná deve receber R$ 4 mil por danos morais. 

Empresa ainda pode recorrer da decisão, segundo o TST.

Do G1 PR

Um funcionário que diz ter sido chamado de ‘porqueirinha’ pelo chefe quando assinava um termo de rescisão de seu contrato de trabalho depois de voltar de um afastamento médico em uma empresa de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi indenizado pela Justiça. Ele deve receber R$ 4 mil por danos morais. Segundo o Tribunal Superior do Trabalho (TST), o rapaz precisou se afastar da empresa porque sofreu um acidente de trabalho e um mês após o retorno  foi mandado embora. Nesse período recebeu duas advertências.

A decisão, unânime, foi tomada pela Quinta Turma do TST e manteve a condenação ao pagamento, imposta pelo Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR). A empresa ainda pode recorrer da decisão.

De acordo com o relatório do TST, o trabalhador primeiramente foi admitido na função de auxiliar de almoxarifado e desviado da função para consertar um telhado na empresa sem ter recebido treinamento e Equipamento de Proteção Individual (EPI). Durante a execução da tarefa ele sofreu uma queda de uma altura elevada que o deixou parcialmente incapacitado para o trabalho. Um colega de trabalho estava junto e morreu após o acidente. No relatório consta ainda que o autor da reclamação sofreu fraturas nos joelhos e no nariz e foi afastado.

O relatório destaca também que após retornar a empresa, o rapaz contou que por ordem de seu superior hierárquico teria que permanecer sentado em uma cadeira nas dependências da empresa e sem fazer nada. Ele disse ainda que era proibido de se deslocar para dentro do seu pátio ou de simplesmente se comunicar com outros funcionários.

Segundo a inicial, na função de “não fazer nada”, o empregado levou duas advertências: a primeira por ter falado com outro funcionário e a segunda por sair do trabalho para fazer consultar médica, mesmo tendo avisado a empresa e apresentado atestado médico. Passado um mês foi avisado de sua demissão por justa causa.

G1 entrou em contato por telefone com o advogado do funcionário, Ralph Durval Moreira de Souza, mas ele se recusou a dar mais detalhes sobre o caso.

A CTB-RN promoveu importante debate sobre o desemprego em Mossoró/RN

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RN) promoveu importante debate na ultima terça-feira, dia 26, para discutir a questão do desemprego em Mossoró. O encontro teve início às 19h30, no Hotel Villa Oeste, em Mossoró/RN.

O debate foi organizado pelo dirigente estadual da CTB, Aldeirton Pereira, e coordenado pelo presidente da CTB Estadual, Moacir Soares.
226949_2887407599671_1731329328_n
A mesa foi composta por vários dirigentes sindicais e empresários, alem do presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Vereador José Francisco Júnior.Conforme a CTB, o objetivo do debate era despertar, na classe política, empresarial e nos movimentos sindicais e sociais, a importância de discutir a problemática do aumento do desemprego na cidade.Além de discutir o atual cenário de empregabilidade no município, o encontro também levantou questões como o fator previdenciário, temática que norteará as atividades da 7ª Marcha da Classe Trabalhadora, que será promovida pelas centrais sindicais no dia 6 de março, em Brasília.

Motoristas de ambulância discutem criação de sindicato

3942

Na manhã desta segunda-feira (25/02) a reportagem do Coletivo Foque foi até o auditório do Hotel Maine, em Natal, acompanhar a assembleia de pró-fundação do Sindicato dos Motoristas de Ambulância do estado do Rio Grande do Norte.

por Coletivo Foque | Fotos: Rogério Marques
 

Logo após a leitura do Edital de Convocação da assembleia ocorreu uma acalorada discussão sobre a criação de um novo sindicato para representar setores que hoje fazem parte do Sintro/RN. A polêmica sobre qual a base de representação do novo sindicato foi longa e só terminou após a decisão dos participantes em fazer ajustes no Edital e convocarem nova assembleia.

Para José Rebouças, coordenador-geral do Sintest/RN (Sindicato dos Técnicos Administrativos da UFRN), “O Sintest entende que a organização sindical é parte da liberdade que os trabalhadores têm para no dia-a-dia da sua luta criar um sindicato, sua organização, sua associação. Estamos vendo aqui dois interesses distintos. Nesse sentido, nós do Sintest defendemos a unidade e que os trabalhadores através das suas instâncias de base discutam, elejam seu estatuto, elaborem suas normas e critérios com o apoio da maioria da categoria. Isso é a democracia operária que é aplicada desde Lênin até agora”.

Segundo o vereador Sando Pimentel, que participou da assembleia “A nossa presença aqui é no sentido de acompanhar, por que nós entendemos que toda e qualquer organização da classe trabalhadora é importante, e queremos contribuir com as discussões de cada categoria. A assembleia foi boa por que conseguiu trazer para a discussão vários profissionais, especialmente os que trabalham em ambulância e que são massacrados pelas empresas, pelas prefeituras, e que por isso estão revoltados e tentando se organizar para ter uma representação específica”.

Presidente da CTB/RN (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), Moacir Soares disse lamentar a forma como ocorreu esse processo. “Como envolve dois sindicatos que são filiados a nossa central, entendo que a gente deveria discutir esse tema de forma democrática e não fracionar essa discussão. Gostaríamos que esse debate fosse democratizado, passe pelas devidas etapas, para que não tenha divisão da categoria. Se há alguém prejudicado vamos procurar corrigir os erros e juntos encontrar uma forma ideal de encaminhar esse processo”, completou.

O motorista da Samu e um dos defensores do novo sindicato, Paulo Martins, declarou que “Apesar de toda polêmica de hoje a categoria em todo o estado está querendo a formação de um novo sindicato de motoristas de ambulâncias. Existe uma lei específica, que está sendo aprovada no Congresso Nacional, que é de grande importância para a categoria, por que na hora que regulamenta a profissão a gente tem como lutar pelo piso salarial e pelos direitos. A maioria dos trabalhadores em ambulância no estado inteiro recebem salário mínimo”. Ele adiantou que deverá ser feito alguns ajustes no edital e convocada uma nova assembleia para o dia 8 de março, às 10 horas no auditório do Sindsaude/RN. “Vamos fundar o novo sindicato com certeza. Esta é uma ansiedade da categoria e nós vamos seguir em frente”, afirmou Paulo.

Para o presidente do Sintro/RN (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários), Nastagnan Batista, a discussão foi positiva, democrática. “A direção do nosso sindicato jamais se furtou em discutir qualquer desmembramento, até por que nós desmembramos motoristas de prefeituras e alternativos, sem nenhum problema, mas o fórum foi dentro da categoria. O edital para a criação do novo sindicato coloca motoristas de ambulância, terceirizados, Samu, entre outros. Então abrange todos os motoristas do estado. É preciso que se abra esse debate dentro da categoria. Se a maioria dos trabalhadores quiser se desmembrar não tem nenhum problema, desde que seja de forma democrática”, informou Nastagnan.

Wanderson Pires, que também é um dos coordenadores do processo de fundação do novo sindicato, explicou que o edital foi bem específico, onde diz que o sindicato é dos motoristas de ambulância. “Houve um equívoco por parte do Sintro, que convocou os terceirizados, motoristas de ônibus da UFRN e dos transportes coletivos em geral, que se sentiram como se fosse a categoria deles e que tivessem tomando suas bases. Em nenhum momento queremos tomar a base de nenhum sindicato e sim exercer a democracia que é garantida na Constituição, no art. 8º, onde reza que é livre a associação sindical. Nesse momento nos sentimos pressionados e queremos deixar claro que o Sintro representa os trabalhadores de transportes rodoviários do RN. Queremos um sindicato específico de uma categoria para representar e defender os interesses dos motoristas de ambulância”.

 

 

40 perguntas para Yoani Sánchez em sua turnê mundial

 

 

40 perguntas para Yoani Sánchez em sua turnê mundial

1. Quem organiza e financia sua turnê mundial?

2. Em agosto de 2002, depois de se casar com o cidadão alemão chamado Karl G., abandonou Cuba, “uma imensa prisão com muros ideológicos”, para imigrar para a Suíça, uma das nações mais ricas do mundo. Contrariamente a qualquer expectativa, em 2004, decidiu voltar a Cuba, “barco furado prestes a afundar”, onde “seres das sombras, que como vampiros se alimentam de nossa alegria humana, nos introduzem o medo através do golpe, da ameaça, da chantagem”, onde “os bolsos se esvaziavam, a frustração crescia e o medo se estabelecia”. Que razões motivaram esta escolha?

3. Segundo os arquivos dos serviços diplomáticos cubanos de Berna, Suíça, e de serviços migratórios da ilha, você pediu para voltar a Cuba por dificuldades econômicas com as quais se deparou na Suíça. É verdade?

4. Como pôde se casar com Karl G. se já estava casada com seu atual marido Reinaldo Escobar?

5. Ainda é seu objetivo estabelecer um “capitalismo sui generis” em Cuba?

6. Você criou seu blog Geração y (Generación Y) em 2007. Em 4 de abril de 2008 conseguiu o Prêmio de Jornalismo Ortega e Gasset, de 15 mil euros, outorgado pelo jornal espanhol El País. Geralmente, este prêmio é dado a jornalistas prestigiados ou a escritores de grande carreira literária. É a primeira vez que uma pessoa com seu perfil o recebe. Você foi selecionada entre cem pessoas mais influentes do mundo pela revista Time (2008). Seu blog foi incluído na lista dos 25 melhores blogs do mundo pela cadeia CNN e pela revista Time (2008), e também conquistou o prêmio espanhol Bitacoras.com, assim como The Bob’s (2008). El País lhe incluiu em sua lista das cem personalidades hispano-americanas mais influentes do ano 2008. A revista Foreign Policy ainda a incluiu entre os dez intelectuais mais importantes do ano em dezembro de 2008. A revista mexicana Gato Pardo fez o mesmo em 2008. A prestigiosa universidade norte-americana de Columbia lhe concedeu o prêmio María Moors Cabot. Como você explica esta avalanche de prêmios, acompanhados de importantes quantias financeiras, em apenas um ano de existência?

7. Em que emprega os 250 mil euros conseguidos graças a estas recompensas, um valor equivalente a mais de 20 anos de salário mínimo em um país como França, quinta potencia mundial, e a 1.488 anos de salário mínimo em Cuba?

8. A Sociedade Interamericana de Imprensa, que agrupa os grandes conglomerados midiáticos privados do continente, decidiu nomeá-la vice-presidente regional por Cuba de sua Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação. Qual é seu salário mensal por este cargo?

9. Você também é correspondente do jornal espanhol El País. Qual é sua remuneração mensal?

10. Quantas entradas de cinema, de teatro, quantos livros, meses de aluguel ou pizzas pode pagar em Cuba com sua renda mensal?

11. Como pode pretender representar os cubanos enquanto possui um nível de vida que nenhuma pessoa na ilha pode se permitir levar?

12. O que faz para se conectar à Internet se afirma que os cubanos não têm acesso e ela?

13. Como é possível que seu blog possa usar Paypal, sistema de pagamento online que nenhum cubano que vive em Cuba pode utilizar por conta das sanções econômicas que proíbem, entre outros, o comércio eletrônico?

14. Como pôde dispor de um Copyright para seu blog “© 2009 Generación Y – All Rights Reserved”, enquanto nenhum outro blogueiro cubano pode fazer o mesmo por causa das leis do embargo?

15. Quem se esconde atrás de seu site desdecuba.net, cujo servidor está hospedado na Alemanha pela empresa Cronos AG Regensburg, registrado sob o nome de Josef Biechele, que hospeda também sites de extrema direita?

16. Como pôde fazer seu registro de domínio por meio da empresa norte-americana GoDady, já que isto está formalmente proibido pela legislação sobre as sanções econômicas?

17. Seu blog está disponível em pelo menos 18 idiomas (inglês, francês, espanhol, italiano, alemão, português, russo, esloveno, polaco, chinês, japonês, lituano, checo, búlgaro, holandês, finlandês, húngaro, coreano e grego). Nenhum outro site do mundo, inclusive das mais importantes instituições internacionais, como por exemplo as Nações Unidas, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional, a OCDE ou a União Europeia, dispõem de tantas versões linguísticas. Nem o site do Departamento de Estado dos Estados Unidos, nem o da CIA dispõem de igual variedade. Quem financia as traduções?

18. Como é possível que o site que hospeda seu blog disponha de uma banda com capacidade 60 vezes superior àquela que Cuba dispõe para todos os usuários de Internet?

19. Quem paga a gestão do fluxo de mais de 14 milhões de visitas mensais?

20. Você possui mais de 400 mil seguidores em sua conta no Twitter. Apenas uma centena deles reside em Cuba. Você segue mais de 80 mil pessoas. Você afirma “Twitto por sms sem acesso à web”. Como pode seguir mais de 80 mil pessoas sem ter acesso à internet?

21. O site http://www.followerwonk.com permite analisar o perfil dos seguidores de qualquer membro da rede social Twitter. Revela a partir de 2010 uma impressionante atividade de sua conta. A partir de junho de 2010, você se inscreveu em mais de 200 contas diferentes do Twitter a cada dia, com picos que podiam alcançar 700 contas em 24 horas. Como pôde realizar tal proeza?

22. Por que cerca de seus 50 mil seguidores são na verdade contas fantasmas ou inativas? De fato, dos mais de 400 mil perfis da conta @yoanisanchez, 27.012 são ovos (sem foto) e 20 mil têm características de contas fantasmas com uma atividade inexistente na rede (de zero a três mensagens mandadas desde a criação da conta).

23. Como é possível que muitas contas do Twitter não tenham nenhum seguidor, apenas seguem você e tenham emitido mais de duas mil mensagens? Por acaso seria para criar uma popularidade fictícia? Quem financiou a criação de contas fictícias?

24. Em 2011, você publicou 400 mensagens por mês. O preço de uma mensagem em Cuba é de 1,25 dólares. Você gastou seis mil dólares por ano com o uso do Twitter. Quem paga por isso?

25. Como é possível que o presidente Obama tenha lhe concedido uma entrevista, enquanto recebe centenas de pedidos dos mais importantes meios de comunicação do mundo?

26. Você afirmou publicamente que enviou ao presidente Raúl Castro um pedido de entrevista depois das respostas de Barack Obama. No entanto, um documento oficial do chefe da diplomacia norte-americana em Cuba, Jonathan D. Farrar, afirma que você nunca escreveu a Raúl Castro: “Ela não esperava uma resposta dele, pois confessou nunca tê-las enviado [as perguntas] ao presidente cubano. Por que mentiu?

27. Por que você, tão expressiva em seu blog, oculta seus encontros com diplomáticos norte-americanos em Havana?

28. Entre 16 e 22 de setembro de 2010, você se reuniu secretamente em seu apartamento com a subsecretaria de Estado norte-americana Bisa Williams durante sua visita a Cuba, como revelam os documentos do Wikileaks. Por que manteve um manto de silêncio sobre este encontro? De que falaram?

29. Michael Parmly, antigo chefe da diplomacia norte-americana em Havana afirma que se reunia regularmente com você em sua casa, como indicam documentos confidenciais da SINA. Em uma entrevista, ele compartilhou sua preocupação em relação à publicação dos cabos diplomáticos norte-americanos pelo Wikileaks: “Eu me incomodaria muito se as numerosas conversas que tive com Yoani Sánchez forem publicadas. Ela poderia sofrer as consequências por toda a vida”. A pergunta que imediatamente vem à mente é a seguinte: quais são as razões por que você teria problemas com a justiça cubana se sua atuação, conforme afirma, respeita o marco da legalidade?

30. Continua pensando que “muitos escritores latino-americanos mereciam o Prêmio Nobel de Literatura mais que Gabriel García Márquez”?

31. Continua pensando que “havia uma liberdade de imprensa plural e aberta, programas de rádio de toda tendência política” sob a ditadura de Fulgencio Batista entre 1952 e 1958?

32. Você declarou em 2010: “o bloqueio tem sido o argumento perfeito do governo cubano para manter a intolerância, o controle e a repressão interna. Se amanhã as suspenderem as sanções, duvido muito que sejam vistos os efeito”. Continua convencida de que as sanções econômicas não têm nenhum efeito na população cubana?

33. Condena a imposição de sanções econômicas dos Estados Unidos contra Cuba?

34. Condena a política dos Estados Unidos que busca uma mudança de regime em Cuba em nome da democracia, enquanto apoio as piores ditaduras do Oriente Médio?

35. Está a favor da extradição de Luis Posada Carriles, exilado cubano e ex-agente da CIA, responsável por mais de uma centena de assassinatos, que reconheceu publicamente seus crimes e que vive livremente em Miami graças à proteção de Washington?

36. Está a favor da devolução da base naval de Guantánamo que os Estados Unidos ocupam?

37. Você é favorável à libertação dos cinco presos políticos cubanos presos nos Estados Unidos desde 1998 por se infiltrarem em organizações terroristas do exílio cubano na Florida?

38. Em sua opinião, é normal que os Estados Unidos financiem uma oposição interna em Cuba para conseguir “uma mudança de regime”?

39. Em sua avaliação, quais são as conquistas da Revolução Cubana?

40. Quais interesses se escondem atrás de sua pessoa?

Salim Lamrani*

* Doutor em Estudos Ibéricos e Latino-americanos da Universidade Paris Sorbonne-Paris IV, Salim Lamrani é professor titular da Université de la Réunion e jornalista, especialista nas relações entre Cuba e Estados Unidos. Seu último livro se intitula Etat de siège. Les sanctions économiques des Etats-Unis contre Cuba, Paris, Edições Estrella, 2011, com prólogo de Wayne S. Smith e prefácio de Paul Estrade.

Fonte: Opera Mundi

Registrada chapa única para a eleição da Contag

 

  • Escrito por Eduardo Navarro
chapa contag 2013

Na tarde desta terça-feira, 19 de fevereiro, foi registrada chapa única para a eleição da nova Diretoria e Conselho Fiscal da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que ocorrerá no dia 8 de março de 2013, no último dia do 11º Congresso Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (CNTTR).

Esta chapa, denominada de “Unidade com a Base” por conta da sua identificação e compromisso com os trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o país, representa um grande trabalho que foi legitimado pela base durante a realização das 98 plenárias estaduais e regionais de preparação ao 11º CNTTR. O próximo passo será a apreciação e votação de todos os nomes listados pelos mais de 2.500 delegados e delegadas que estarão presentes no congresso de 4 a 8 de março no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília/ DF.

Alberto Ercílio Broch, atual presidente da Contag, é candidato à reeleição. O dirigente destaca os principais desafios para a próxima gestão. “Um desafio interno é aperfeiçoarmos o nosso movimento sindical, a nossa estrutura sindical, para que o MSTTR se torne cada vez mais em uma grande ferramenta de luta nas mãos de milhares de homens e mulheres no campo brasileiro. Já o externo, é como iremos lidar com os grandes temas, como a relação com o governo, o desafio de primarmos pela nossa autonomia e independência, a reforma agrária, a violência no campo, bem como avançar nas políticas públicas e sociais.”

Fonte: Site da CTB

%d blogueiros gostam disto: