Archive | 28/03/2012

Demóstenes: dessa cachoeira não cai dinheiro não? Só o DEM? Buáááá…

Demóstenes: dessa cachoeira não cai dinheiro não? Só o DEM? Buáááá…

– Publicado por Robson Pires, 

 

 

 

Fonte: Blog Do Robson Pires

Anúncios

Operação Sinal Fechado: Empresário envolve @joseagripino em esquema de corrupção

http://blogdoprimo.com.br/noticias/empresario-declarou-ao-mp-que-jose-agripino-e-carlos-augusto-rosado-receberam-1-milhao-de-reais-no-sotao-do-ap-do-senador/

depoimento Gilmar

José Agripino e Carlos Augusto Rosado

 Leia na íntegra o depoimento que chegou ao conhecimento do Blog através de fonte anônima.

            O blog não está fazendo juízo de valor sobre o depoimento do empresário José Gilmar Carvalho Lopes, o “Gilmar da Montana“, apenas faz as seguintes perguntas ao Ministério Público: Este depoimento é verdadeiro e consta nos autos do processo? E sendo verdadeiro, porque o Ministério Público não denunciou o Senador José Agripino e o ex-deputado Carlos Augusto Rosado, marido da governadora Rosalba Ciarlini?

Fonte: Blog do Daniel Dantas Lemos

Exames mostram que tumor de Lula desapareceu

MÔNICA BERGAMO
DE SÃO PAULO

 

O tumor do ex-presidente Lula desapareceu. Os exames feitos nesta manhã –de ressonância magnética e diagnósticos detalhados na garganta– mostram que não há mais resquícios do câncer.

Os médicos evitam falar em cura, o que só poderá ser confirmado em cinco anos. Ao fim deste período, novos exames poderão constatar se o ex-presidente foi curado.

 

Fonte: Folha de São Paulo

Morre aos 88 anos no Rio o escritor Millôr Fernandes

Escritor morreu em casa, em Ipanema, na Zona Sul do Rio.
Ele teve falência múltipla dos órgãos, segundo filho.

Do G1 RJ

O escritor Millôr Fernandes durante entrevista em seu escritório, em Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro (Foto: Marcos de Paula / AE)Millôr Fernandes morreu aos 88 anos, no Rio de Janeiro (Foto: Marcos de Paula / AE)

O escritor carioca Millôr Fernandes morreu aos 88 anos, às 21h de terça-feira (27), em casa, no bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo Ivan Fernandes, filho do escritor, ele teve falência múltipla dos órgãos e parada cardíaca.

De acordo com a família, o velório está marcado para quinta-feira (29), das 10h às 15h, no cemitério Memorial do Carmo, no Caju, na Zona Portuária. Em seguida, o corpo será cremado.

Em 2011, o escritor chegou a ser internado duas vezes na Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul. Na época, a assessoria do hospital não detalhou o motivo da internação a pedido da família.

Escritor, jornalista, desenhista, dramaturgo e artista autodidata, Millôr começou a colaborar com a revista “O Cruzeiro” aos 14 anos, conciliando as tarefas de tradutor, jornalista e autor de teatro. No final dos anos 1960, tornou-se um dos fundadores do jornal “O Pasquim”, reconhecido por seu papel de oposição ao regime militar.

Escreveu nos anos seguintes diversos tipos de peças e se tornou o principal tradutor das obras de William Shakespeare no país.

Atualmente ele mantinha um site pessoal em que escrevia textos de humor e cartuns, além de reunir seus trabalhos dos últimos 50 anos. Seu perfil no Twitter já contava com mais de 285 mil seguidores.

 

Fonte: G1

Presidente do DEM diz que Demóstenes Torres pode ser expulso da legenda

Brasília – O presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), que assumiu a liderança do partido deixada por Demóstenes Torres (GO) na manhã de hoje (27), disse que aguarda informações da Procuradoria-Geral da República para que o senador goiano possa defender-se e, a partir de então, o partido tome uma posição quanto à permanência dele na legenda.

Agripino Maia lembrou que, em outra ocasião, o partido já decidiu expulsar um membro quando ficou comprovado que ele estava envolvido em um escândalo de corrupção. Foi em 2009, na Operação Caixa de Pandora, que resultou na prisão do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda. Para o presidente e líder do DEM, é possível que o mesmo ocorra com Torres se ele não conseguir provar sua inocência.

“Eu não quero dizer que a expulsão é provável porque eu não conheço as acusações e não quero fazer um julgamento antecipado. Agora, posso dizer apenas que o partido já teve, em circunstâncias preocupantes, um comportamento claríssimo que o Brasil todo conheceu. E não vai hesitar um minuto em repetir a dose se as evidências se mostrarem iguais”, declarou Agripino Maia.

Nos últimos dias, aumentou a pressão de senadores para que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, repasse ao Senado as gravações da Polícia Federal (PF) e outras informações de inquéritos que citam Demóstenes Torres e o ligam ao empresário Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira.

Hoje, Gurgel recebeu um grupo de senadores e os informou que irá encaminhar ao STF o pedido para iniciar uma investigação contra todos os parlamentares citados na Operação Monte Carlo, da PF, que culminou na prisão de Cachoeira. Além de Demóstenes Torres, trechos de gravações que vazaram da operação implicam também os deputados Sandes Júnior (PP-GO) e Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO).

Gurgel também disse que encaminhará as informações que possui sobre o envolvimento de Demóstenes com Cachoeira para o corregedor-geral do Senado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), que participou da reunião com o procurador-geral, disse que vai aguardar a abertura de inquérito contra Demóstenes e o envio das informações a Vital do Rêgo, para, então, abrir representação contra ele no Conselho de Ética do Senado.

“Claramente me parece que não tem mais condições para o senador Demóstenes aqui, no âmbito do Senado Federal. Eu, se fosse o senador Demóstenes, acho que a única alternativa que restaria neste momento seria a renúncia. Da nossa parte, ocorrendo a denúncia da PGR ao Supremo com o pedido de abertura de inquérito, torna-se inevitável que aqui sejam representados os membros envolvidos na Operação Monte Carlo ao Conselho de Ética”, disse o líder do PSOL.

Nesta terça, Demóstenes Torres enviou ofício ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), comunicando que ocupará a tribuna da Casa para se defender assim que tiver acesso ao conteúdo dos autos dos processos nos quais é citado. “Não me escusarei de responder a qualquer questionamento que, por ventura, seja feito pelos senhores senadores e senhoras senadoras”, garantiu no documento.

O senador disse ainda que vem sofrendo nas últimas semanas “toda sorte de ataques à minha honra, sem que sejam observadas as garantias constitucionais previstas em qualquer Estado Democrático de Direito”. Ele também repetiu o que disse em discurso no dia 6 de março, quando se propôs a ser investigado no Supremo Tribunal Federal para esclarecer as acusações de que teria recebido dinheiro em troca de favores a Carlinhos Cachoeira.

* Fonte: Agência Brasil

Sindicato volta a alertar para carência de carteiros em Mossoró

Jose_Ferreira_vice_presidente_do_Sintect_rn
O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect), José Ferreira, alerta que a insuficiência de carteiros continua a prejudicar o serviço da empresa em Mossoró. Para mudar a situação, ele informa que continua o movimento da categoria para convocação de servidores concursados. “O ideal seria a convocação de mais 30 carteiros”, diz.
Entretanto, segundo Ferreira , até agora foram convocados apenas oito servidores. “Além disso, os trabalhadores foram surpreendidos com pregão eletrônico para contratação de mão de obra terceirizada. Existe um concurso válido, o pessoal fez exames e está esperando ser chamado. E por que não chamá-los, contratar terceirizados?”, questiona.
O sindicalista informa que em 2011 foi assinado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) dos Correios com o Ministério Público proibindo contratação de pessoal terceirizado. “Mas, como havia necessidade urgente, o MP abriu exceção, concedendo que até a vigência do concurso poderiam contratar terceirizados em número igual aos concursados”.
O problema, segundo ele, é que isso não está acontecendo. Ferreira informa que no ano passado foram contratados 135 terceirizados e 68 concursados. “Ou seja, o TAC está sendo descumprido”, observa, acrescentando que a convocação dos concursados é fundamental para acabar com a sobrecarga d e trabalho e melhorar os serviços dos Correios em Mossoró.
Ele adverte que os 58 carteiros em atividade em Mossoró não conseguem atender à demanda. “E, para piorar, a empresa adotou sistema de acompanhamento de produtividade, que avalia o trabalho dos servidores. Só que não há como cumprir metas estabelecidas se a empresa não dá condições para isso. Essa avaliação está prejudicando”, diz.
Fonte:  O MOSSOROENSES
%d blogueiros gostam disto: