Archive | 06/03/2012

LULA DEVE ARRISCAR A VIDA PELOS PAULISTANOS !?!

LULA NÃO PODE ARRISCAR A VIDA POR UMA CAMPANHA ELEITORAL

Por Eduardo Guimarães

“Na noite de 31 de outubro de 2010 fui com a família à avenida Paulista comemorar a vitória de Dilma Rousseff. Um grupo de amigos reunira-se em um dos bares do quarteirão da rua Joaquim Eugênio de Lima com a avenida, que ficou conhecido como “Prainha Paulistana”. Ali, encontrei Marcos Lula, um dos filhos do então presidente da República.

Conversa vai, conversa vem, Marcos me confidenciou a dificuldade instransponível para convencer seu pai a se afastar de atividade que tanta dor tem trazido à sua família nos últimos tempos, desde que o ex-presidente anunciou que estava sofrendo de câncer, em razão dos ataques políticos que não o poupam nem em momento de tanta dificuldade.

Segundo o filho de Lula, seu pai sempre prometeu à família que um dia deixaria a política, mas esse dia nunca chegou. E, assim, a família inteira vai tendo que conviver com os sucessivos ataques ao patriarca, os quais sempre conseguem ser mais rasteiros e desumanos do que os anteriores.

Na semana passada, reuni-me com amigos na inauguração da nova sede do Centro de Estudos Barão de Itararé, na rua Rego Freitas, no prédio em que fica o Intervozes. Entre sindicalistas, militantes, jornalistas, diplomatas e políticos, não encontrei uma só pessoa que não concordou com a tese de que Lula deve virar alvo de pesada artilharia, nos próximos meses.

Todos lembraram o quanto a direita midiática está assustada com a entrada dele no processo eleitoral de 2012 e de como, desse medo, têm emanado os ataques mais virulentos, baixos e covardes que se possa conceber. E de como aumentarão ainda mais se Lula voltar ao palco político.

No fim da tarde de domingo, os portais de internet anunciavam a nova internação de Lula, desta vez por conta de infecção pulmonar e febre. Há algumas semanas, fora internado por dores na garganta e dificuldade de deglutir.

Eu e minha família temos comentado que a aparência de Lula não nos está agradando. Em nossa opinião, o ex-presidente está claramente sentindo mais o tratamento do que a presidente Dilma. Talvez pela localização de seu tumor, talvez pelo fato de que mulher é mais forte, só sei que o fato é que Lula ficou impressionantemente abatido.

Qualquer pessoa comum, sofrendo do mal que acomete o ex-presidente, se afastaria por completo de atividades desgastantes tanto do ponto de vista emocional quanto físico, como sói ser uma campanha eleitoral – ainda mais em um país como o nosso, onde política é uma guerra em que abundam os golpes baixos.

Luiz Inácio Lula da Silva já fez o que podia pelo país. Trabalhou como um cavalo durante seus 8 anos na Presidência. Jornadas de trabalho ocupavam dois terços dos seus dias, fins de semana inteiros eram dedicados à política. Ninguém pode exigir mais nada desse homem. Doente como está, participar de campanha suja como a que vem por aí, é loucura.”

FONTE: escrito por Eduardo Guimarães no seu blog “Cidadania.com” (http://www.blogcidadania.com.br/2012/03/lula-nao-pode-arriscar-a-vida-por-uma-campanha-eleitoral/).

Anúncios

Câmara aprova relatório da CEI dos Contratos por 17 votos a quatro

Texto agora será encaminhado ao Ministério Público Estadual; oposição se indignou com supressões do texto e votou contrariamente.

Por Dinarte Assunção
Por 17 votos a quatro, o plenário da Câmara Municipal de Natal aprovou o relatório, elaborado pelo vereador Bispo Francisco de Assis (PSB), da CEI dos Contrato. O resultado já era aguardado desde que a redação do texto final da relatoria foi alterado, e os responsáveis pelas irregularidades apuradas, suprimidos.

O texto, agora, será encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE), que poderá solicitar mais informações e apontar os nomes suprimidos. Curiosamente, os quatro votos contrários partiram da bancada de oposição à prefeita Micarla de Sousa (PV).

“Por entender que existe omissão no relatório […] eu voto contrário, e digo que vou encaminhar aos órgãos de fiscalização o que foi deixado de fora do texto da relatoria”, argumentou a presidente da CEI, Júlia Arruda (PSB), em declaração de voto.

“Não tem nada que comprometa [a administração]. É um atestado de idoneidade [a CEI]”, comentou o líder da prefeita na Câmara, Enildo Alves, ao fim da votação. A oposição agora tenta votar como encaminhamento ao relatório as irregularidades suprimidas.

Veja como cada vereador votou:

Adão Eridan: favorável

Adenúbio Melo: favorável

Albert Dickson: favorável

Assis Oliveira: favorável

Bispo Francisco de Assis: favorável

Aquino Neto: favorável

chagas catarino: favorável

Dickson Nasser: favorável

Edivan Martins: favorável

Enildo Alves: favorável

Fernando Lucena: contrário

Franklin Capistrano: favorável

George Câmara: favorável

Júlia Arruda: contrário

Júlio Protásio: favorável

Maurício Gurgel: favorável

Ney Lopes Jr.: favorável

Osório Jácome: favorável

Professor Luiz Carlos: contrário

Raniere Barbosa: favorável

Sargento Regina: contrário

FONTE: Portal Nominuto

Escritora revolucionária nicaraguense tem poesias lançadas no Brasil

escritoraO livro “O olho da mulher”, publicado originalmente em 1992, chega agora ao Brasil, como a primeira publicação no país com as poesias da nicaraguense Gioconda Belli. A coletânea reúne sua produção poética desde os anos 1970 até o ano de sua publicação e tem lançamento previsto em março em Diamantina, Belo Horizonte, em Minas Gerais, São Paulo e São José dos Campos (SP). 

Guerrilheira

Gioconda nasceu em Manágua, capital do país cuja revolução ela fez parte ativamente. Já bastante jovem entrou na Frente Sandinista de Libertação Nacional, participando da luta armada contra a então ditadura da família Somoza (1936 – 1979). Por um bom tempo manteve sua militância clandestina até de seu marido e foi obrigada a se exilar no México em 1975, passando também por Costa Rica e Cuba, de onde continuou atuando em nome do movimento. Voltou à Nicarágua apenas em 1979, com a vitória sandinista, e a partir daí ocupou importantes cargos na área da comunicação do governo revolucionário. Belli rompeu com o partido sandinista em 1993 e é hoje grande crítica de Daniel Ortega e de seu governo.

“Parece mentira, mas mesmo um país que sofreu tanto e guerreou tão valentemente para livrar-se de uma longa e repetitiva ditadura, pôde rebobinar a história e recolocá-la na vulnerável posição de submeter-se ao desígnio de quem maneja com autonomia todos os instrumentos do poder”, criticou Belli no texto de despedida de seu coluna no jornal nicaraguense “El Nuevo Diário”, em janeiro. “É assim que Daniel Ortega – que desde 1979 tem ocupado, de uma maneira ou de outra, uma posição chave na política nicaraguense – se consagra, ao retomar as rédeas do governo, como o dirigente de mais longa trajetória que já tivemos”, afirma.

Pulsação

“Quem porventura hoje travar um primeiro contato com seus versos, mesmo sem conhecer o contexto político em que foram escritos, irá sentir a pulsação de um universo cultural, geográfico e histórico – a Nicarágua antes, durante e depois da revolução”, afirma Silvio Diogo, para quem a maior contribuição de Belli “reside justamente na capacidade de renascimento, de ‘cavar a esperança na desesperança’, de ousar pela opção em afirmar a vida quando tudo ao redor parece querer dizer morte”.

Ela narra sua história em seu livro autobiográfico “O país sob minha pele”, pela Editora Record, que publicou também os romances “A mulher habitada” e “O país das mulheres”. De seus 15 livros (bastante premiados), esses, somando-se agora ao “O olho da mulher” são os únicos publicados no Brasil.

 

escritora_02

Entusiasmo

“Tomei contato com o livro em espanhol (“El ojo de la mure”) em 2008 e logo que li
os primeiros poemas, tive o impulso de traduzi-los para o belli-capa-iportuguês e, assim, continuei a ler já traduzindo, na tentativa de incorporar aquele universo de descobertas, encantos e tempestades que a leitura me provocava”, conta Silvio Diogo. Entusiasmado com a ideia de trazer o livro para o Brasil, conseguiu o número da autora e telefonou no dia do seu aniversário de 60 anos dela, em dezembro de 2008. “Ela se mostrou simpática e solícita à ideia, encaminhando-me à agência espanhola que a representa internacionalmente. Até aí, tudo ótimo. Depois veio o périplo”, relata Silvio, relembrando as dificuldades para conseguir editoras que aceitassem lançar o livro. Foi então que decidiu assumir a edição do livro, pela Arte Desemboque Casa Editorial, recém nascida em outubro do ano passado, em Diamantina. A edição, com 135 poemas (em 256 páginas), será vendida por R$ 25 e pode ser encomendada pelo site da editora.

E por que o interesse específico em Gioconda Belli? Silvio Diogo confessa que escolhas de poesias guardam sempre um elemento de repercussão íntima. “Percebo que a poesia de Gioconda Belli é capaz de provocar terremotos em quem lê, sem precisar se valer de argumentos discursivos ou clichês revolucionários”, define. “Ao mesmo tempo, o erotismo, a potência corporal de seus versos, mistura-se a transformações muito mais que íntimas. É uma intimidade que se reparte, como Belli sugere no título de um outro livro seu, “Mi íntima multitud” (“Minha íntima multidão”)”, descreve, completando: “É a voz de uma mulher de um país latino-americano que viveu um processo revolucionário na segunda metade do século 20. É o olho dessa mulher que expressa poeticamente o mergulho na experiência da luta, do amor, da maternidade, do exílio, da maturidade, das desilusões, da insistência na utopia”.

A tradução de “O Olho da Mulher” foi feita pelo poeta Silvio Diogo; as notas e o prólogo por Bethania Guerra de Lemos, doutora em literatura com uma tese sobre Belli, a orelha é assinada pelo educador popular Allan da Rosa e as ilustrações são da artista plástica Carolina Tiemi Teixeira.

 

Lançamentos: 

Diamantina
com recital de Mônica Lucinda
06/03 — terça-feira, às 20 horas
Local: Museu do Diamante
Endereço: Rua Direita, 14, Centro, Diamantina
Informações: (38) 3531-1382

08/03 — quinta-feira, às 21 horas
Local: Bar Meio Tom
Endereço: Praça Dr. Prado 136, Centro, Diamantina
Informações: (38) 3531.2641

 

Belo Horizonte
14/03 — quarta-feira, às 20 horas
Local: Sarau Coletivoz — Bar do Bozó
Endereço: Av. Djalma Vieira Cristo 185, Vale do Jatobá, Belo Horizonte
(Ônibus: no Centro, Linhas 32, 33 e 35; Na Estação Barreiro, Linha 326)
Informações: (31) 8680.2714

15/03 — quinta-feira, às 20 horas
Local: Empório Trecos e Afetos
Endereço: Av. Augusto de Lima 233, Centro, Belo Horizonte
Edifício Maletta, Loja 64, 2º Piso
Informações: (31) 9649.3590

 

São Paulo
21/03 — quarta-feira, às 21 horas
Local: Sarau da Cooperifa — Bar do Zé Batidão
Endereço: Rua Bartolomeu dos Santos 797, Chácara Santana, São Paulo
Informações: (11) 5891.7403

22/03 — quinta-feira, às 19h30
Local: Espaço Cultural Latino Americano (ECLA)
Endereço: Rua da Abolição 244, Bixiga, São Paulo
Informações: (11) 3104.7401
São Jsoé dos Campos
com apresentação musical do Trio José

24/03 — sábado, às 13 horas
Local: Literacia Livraria
Endereço: Rua República do Líbano 291, Jardim Oswaldo Cruz, São José dos Campos.
Informações: (12) 3941.9918

 


“Nova construção do presente”

De Gioconda Belli

Vejo-me no espelho,
diluída figura,
incerta mulher desalinhada.
Estou no limiar da construção de mim mesma,
ansiosa por cimentos, estrutura, sólidas paredes
para proteger a bagagem de sonhos que levo nas costas,
preciso de certezas e veredas tranquilas,
passos firmes em direção à minha própria pátria conhecida.
 Este barro necessita tomar forma, ser tijolo,
construir um centro de onde possa fluir belo e sombrio.
 Colecionei tempos como infantis cubos coloridos
 e os dias já pedem uma estrutura para o ritmo,
a cadência de meus audazes despertares,
o som, a pegada de meus passos.
Já foi o tempo de meditar a sós,
existem coros onde incluir minha voz,
cantos brotados de gargantas grossas,
 braços convidativos decifrando a terra,
uma porção de corpos levantando o grãozinho que cai;
todos os dias nascem novos desafios exigindo respostas,
ruídos de edifícios,
de picadas que abrem atalhos em terras de pássaros.
Existem lugares que se avolumam, de repente, em palmeiras,
gigantes que despertam,
vetustas mansões caindo no esquecimento das teias de aranha.

(Tradução: Silvio Diogo).

 

Fonte: Revista Caros Amigos

Pedido de desculpas não impede novas críticas ao secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke

 O pedido de desculpas formais apresentado pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke não impediu as críticas dos parlamentares brasileiros à fala do dirigente esportivo. Nesta terça-feira (6), o senador Sérgio Souza (PMDB-PR) manifestou “integral apoio” ao ministro do Esporte, Aldo Rebelo, no impasse com o interlocutor oficial da entidade para a organização da Copa do Mundo de 2014.

Valcke criticou duramente os organizadores brasileiros do evento devido ao atraso nos preparativos e também na aprovação da Lei Geral da Copa usando termos considerados chulos.

Para o deputado Renan Filho (PMDB-AL), “o secretário falou muito, de forma inapropriada, com linguajar chulo. Não é desta forma que o Brasil precisa de interlocução. Ao invés de ajudar, está atrapalhando, precisa pedir desculpas ao ministro Aldo e ao país para se manter como interlocutor”.

O deputado, que preside a comissão especial que analisa a Lei geral da Copa, admite que algumas críticas tem fundamento, “porque a Lei Geral da Copa deve ser aprovada e enviada para o Senado”. E prometeu continuar trabalhando para acelerar a votação da matéria.

O Presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), também falou sobre o assunto, dizendo que “compreendemos a expectativa (da Fifa), mas o Brasil é um país democrático, que tem parlamento que discute e debate, não existe nada imposto pela entidades daqui, quanto mais pelas entidade de fora”.

E disse ainda que “é uma declaração que merece que a gente devolva o chute daqui prá lá”, em referência à fala de Valcke de que o Brasil precisa levar um “chute no traseiro” para conseguir viabilizar a tempo a infraestrutura para realizar a Copa do Mundo de 2014.

Afronta ao país

“Trata-se de uma afronta ao país e a nossas instituições. O senhor Valcke desrespeitou os Poderes Executivo e Legislativo do Brasil e, assim, a sociedade brasileira como um todo”, disse o senador Sérgio Souza, em discurso no Plenário do Senado, manifestando apoio a atitude de Aldo Rebelo (ministro do Esporte) de pedir à Fifa que nomeie outro interlocutor para o lugar de Valcke.

Para ele, a afirmação foi inapropriada e ofensiva e o secretário-geral não possui discernimento, sensibilidade política, nem polidez para a função. “Tenho a convicção de que o Brasil realizará uma grande Copa do Mundo e sei que, para tanto, precisamos avançar com as obras e com os demais procedimentos. Assim faremos!”, declarou.

De Brasília
Com agências

Assis apresenta projeto que garante licença-saúde ao trabalhador

 O deputado Assis Melo (PCdoB-RS) apresentou, na última quinta-feira (1º), no Plenário da Câmara, projeto de Lei para garantir licença aos trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), em razão de doença de familiar, mediante apresentação de laudo médico que ateste a necessidade de assistência direta do trabalhador ao familiar.

A licença poderá ser concedida a cada 12 meses, sendo por até 60 dias, consecutivos ou não, mantida a remuneração do trabalhador. Ou, após 60 dias, prorrogada por mais 30 dias, sem remuneração. Nesse período, é proibido o exercício de atividade remunerada.

Para o deputado Assis, autor do projeto, a presença familiar é fundamental nos casos de doença, pois além de dar maior segurança emocional, permite conforto físico e moral para toda família.

“O trabalhador, muitas vezes, se sente angustiado por estar distante da pessoa que precisa de seus cuidados, não podendo fazê-lo por se ver obrigado a estar presente no local de trabalho durante todo o dia, ou por não poder deslocar-se para a cidade em que está internado o paciente”, enfatiza Assis.

E acrescenta: os servidores públicos já possuem esse benefício. Isso é um grande exemplo e incentivo para que possamos aprovar o projeto.

Na proposta, descreve-se como familiar, cônjuge ou companheiro (a), pais, filhos, padrasto ou madrasta e enteado, ou dependente que viva a sua custa. A dispensa será concedida se a assistência direta do trabalhador for indispensável e não puder ser prestada simultaneamente com o exercício da função ou mediante compensação de horário.

O próximo passo, agora, é enviar o projeto de Lei para a análise das Comissões Temáticas.

Com informações da Ass. Dep. Assis Melo

%d blogueiros gostam disto: