Archive | março 2012

A CUT enlouqueceu… Ou está aparelhada?

Por Genaldo de Melo

Em nenhum lugar do mundo a liberdade e a democracia plena jamais funcionaram quando prevaleceram opiniões e valores políticos pautados nos interesses individuais, bem como de grupos aparelhados, ou no poder econômico ou na fortaleza do Estado.
A diversidade política necessária ao bom andamento da coisa pública e da Sociedade Civil deve-se necessariamente ser incentivada e trabalhada naturalmente. Se o Estado existe para cumprir sua missão, a Sociedade Civil também tem a sua missão. Se o Estado tem suas condições financeiras para cumprir sua missão, a Sociedade Civil organizada também tem o direito de não ter suas condições financeiras para trabalhar, ceifadas por interesses de poucos.
O Movimento Sindical do Brasil, e seus Aparelhos Privados de Hegemonia, não podem aceitar que apenas uma força do próprio Movimento ache que pode mais do que as outras, a ponto de propor coisas absurdas como o fim do Imposto Sindical. Foi o Imposto Sindical que contribuiu até hoje para que as forças sindicais progressistas, que sempre defenderam os interesses dos trabalhadores/as, de fato existissem e cumprissem sua missão, defender os trabalhadores/as brasileiros.
Acabar com o Imposto Sindical somente porque a CUT quer e acha que é a única Central Sindical no Brasil é um disparate sem limites, que faz a gente comparar a postura com outras situações estreitas que não deram certa na história.  Se depois de tantos anos de lutas históricas para que a Sociedade Civil pudesse pautar os governos com reivindicações da própria sociedade, for por “água abaixo”, porque o Movimento Sindical pode ficar sem condições financeiras para trabalhar e defender os trabalhadores/as, assim estará todos no fim do mundo. Movimento Sindical não é Terceiro Setor, é bom ficar claro isso, e nem existe para terceirizar serviços do Estado!
O capitalismo vive de lucro e escraviza na maioria dos casos as classes trabalhadoras, que somente querem melhores salários e valorização do trabalho. E para lutar e fazer com que as reivindicações dos trabalhadores/as avancem é necessário de recursos financeiros do Imposto Sindical, que é mantido pelos próprios trabalhadores/as. O verdadeiro sindicalismo não existe para prestar serviços ao Estado, nem sobrevive de convênios e contratos com o próprio Estado. Imposto Sindical não sai dos bolsos dos proprietários dos aparelhos econômicos, sai exatamente dos bolsos dos trabalhadores/as que precisam do seu sindicato para lutar.
Plebiscito para acabar com o Imposto Sindical significa estreiteza de sindicalistas de fachada, que estão enganando os trabalhadores/as, e do mesmo modo enganando o próprio Governo. Acabar com esse Imposto é dizer tacitamente para a sociedade, que no Brasil não existe disputas de interesses sociais, políticos e econômicos, que apenas o lado dos mais fortes, os donos das fábricas, dos bancos, ou seja, das estruturas do lucro exacerbado, definem quem deve e quando deve ganhar na sociedade. Ou seja, os escravos do trabalho terão que ficar calados, enquanto os colarinhos azedos definem…
Pensar isso deve ter sido idéia de alguém que gosta muito de ar condicionado e chocolate quente. Será que consultaram a CNI ou a CNA e outros aparelhos do patronato brasileiro, que também usufrui de Imposto Sindical? Ou será que estão pensando que serão donos eternos do Poder?
Os verdadeiros aparelhos do sindicalismo brasileiro, que são sérios e pautados nos verdadeiros valores do sindicalismo, aqueles que sem rancor e sem sede de poder e dinheiro fácil, sabem que o papel das Centrais Sindicais é defender a parte mais frágil da sociedade, que são os trabalhadores/as, e que precisam do Imposto Sindical.
A CUT parece que enlouqueceu…! Quem é ela mesmo na estrutura sindical brasileira hoje? Qual seu papel de fato? Vamos esperar as respostas em Movimento.
Fonte Blog do Genaldo

OAB/RN recebe visita de entidades sindicais

Imagem Interna

O presidente da OAB/RN, Paulo Eduardo Teixeira, recebeu na tarde de hoje (28) visita de representantes sindicais. Na ocasião, foi apresentada proposta para realização de audiência pública, na Seccional Potiguar, a fim de discutir a intervenção do Estado na democracia e a criminalização dos movimentos sociais.
Teixeira ressaltou a importância da discussão do tema pelas conquistas dos direitos dos trabalhadores, bem como destacou que serão realizadas reuniões para organizar a audiência.
Estiveram presentes, entre outros, o presidente da CTB/RN, Moacir Soares, vice-presidente da Associação dos Cabos e Soldados do Rio Grande do Norte (ACS-RN), Roberto Campos, sindicalista Sandro Pimentel, representante de Associação de Moradores Kleber Leite, bem como os conselheiros seccionais José Maria Rodrigues Bezerra e Carlos Alberto Marques.

Fonte: Site da OAB-RN

A RPNEWS EVENTOS DEU COBERTURA A FESTA DE ANIVERSÁRIO DE 90 ANOS DO PCdoB/RN

O evento aconteceu no clube ASSEN em 23/03/2012, o show ficou por conta da Banda Perfume de Gardênia. Militantes, amigos e simpatizantes lotaram o clube numa noite de muita festa,reflexão e descontração.

90 anos do PCdoB

O programa partidário do PCdoB – Partido Comunista do Brasil – conta a história da militância comunista no Brasil com as presenças ilustres de Manuela D’Ávila, Renato Rabelo, Fernando Morais, “Jorge Amado”, João Amazonas e, para fechar com chave de outro, traz os depoimentos do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma. Confira!

“Onde existir opressão, existe a resistência. Onde existir a violência, existe a luta contra a violência. E o Araguaya precipitou o fim da ditadura” (João Amazonas).

“O último ato de violência da ditadura brasileira foi contra o PCdoB. Já estávamos ali na iminência da redemocratização quando se dá o massacre da Lapa. A história do PCdoB é a história da luta pela libertação do povo brasileiro” (Fernando Morais).

Isto foi postado em Geral e com as tags . Salvar opermalinkDeixar um comentário ou enviar um trackback:URL pra trackback.

Artistas gravam vídeos pelo casamento civil de gays


REDAÇÃO ÉPOCA

No site casamentociviligualitario.com.br, primeira peça da campanha pelo casamento civil de gays, artistas defendem a aprovação da emenda constitucional apresentada pelo deputado Jean Wyllys (PSol-RJ), que prevê o casamento civil de homossexuais.

Assista:

Leonel Rocha

CTB mobiliza para ato contra desindustrialização em SP no dia 04

A CTB São Paulo, em parceria com as  centrais sindicais CGTB, FS, NCST e UGT, está convocando toda a classe trabalhadora, sindicatos, associações e federações a participarem, no dia 04 de abril, do grande ato que promete sacudir São Paulo contra a desindustrialização, geração de emprego e renda.

ato_porto_alegre2

“Grito de Alerta” em Porto Alegre reuniu mais de 10 mil manifestantes

O ato, que acontece na Assembleia Legislativa de SP (Alesp), a partir das 10h, é parte do calendário de atividades do movimento “Grito de Alerta em Defesa da Produção e do Emprego”, construído pelo Fórum das Centrais Sindicais e conta com o apoio do setor industrial.

União de forças

Compõem também o movimento estudantes, entidades, sindicatos e federações, como Sindicato Metalúrgicos de SP, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté; Sindicato dos Metalúrgicos de Cajamar, Sindicato dos Metalúrgicos de Salto, Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba, Federação Interestadual dos Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal), Sicetel, Sinafer, Simefre, Sinditextil, Abine, Abimaq, Abiquim, Abipeças, Sicetel, Iabr, Fiemg, Abifa, Abiplast.

O movimento Grito de Alerta nasceu do Pacto pelo Desenvolvimento com Geração de Emprego e Renda, construído unitariamente pelas centrais sindicais, preocupadas com a eliminação dos postos de trabalho na indústria nacional, a perda de participação da indústria no PIB brasileiro no ano passado e o crescimento das importações de produtos acabados ao passo que as commodities ganham peso na balança comercial.

reuniao_centrais-jan2012

Reunião das centrais que definiu a criação do pacto

Números preocupantes

Dados do IBGE revelam que o Brasil fechou 2011 com um saldo bem abaixo das primeiras projeções do governo, que era de 3 milhões de novos postos de trabalho na indústria. Só em novembro, o IBGE registrou queda de 0,1% se comparado com o mês anterior.

Para o presidente da CTB São Paulo, Onofre Gonçalves, é imperativo que o setor produtivo brasileiro deixe de ser penalizado pela alta taxa de juros, pela sobrevalorização cambial e pela entrada de mercadorias livres de taxas em nossos portos. “É uma concorrência desleal. Daí a importância de nos unirmos nessa luta contra a desindustrialização, que precisa ter uma solução emergencial. Porque dessa forma, não há a menor condição de a indústria brasileira competir com os produtos estrangeiros”, alertou o dirigente.

grito_de_alerta_centrais_parana_2012

Centrais definem os últimos preparativos para o ato no Paraná

Brasil afora

Manifestações semelhantes estão sendo realizadas nas principais capitais brasileiras. No último dia 26, foi a vez de Porto Alegre receber o ato, que contou com a participação de cerca de 10 mil trabalhadores, empresários e estudantes, que iniciaram uma caminhada até o Palácio Piratini, onde os sindicalistas entregaram ao governador do estado, Tarso Genro, o documento chamado “Medidas emergenciais para retomada da indústria nacional”, com as propostas para estancar a desindustrialização do país.

Além de São Paulo e Porto Alegre, fazem parte ainda do calendário atos em Santa Catarina (28 de março), Paraná (03 de abril), Manaus (13 de abril), Ceará, Bahia e Brasília (10 de maio), que encerra as atividades.

“A CTB está orientando a todos os sindicatos, federações e associações que se organizem para levarmos mais de 100 mil trabalhadores à Alesp contra essa política macroeconômica do governo que está fechando postos de trabalho e afetando diretamente à classe trabalhadora, bem como os rumos do desenvolvimento do país. Todos à Alesp no dia 04 de abril”, convocou o presidente da CTB-SP.

Serviço:

Grito de Alerta contra desindustrialização em São Paulo

Dia 04 de abril (quarta-feira)

A partir das 10h

Assembleia Legislativa do Estado de SP (Alesp)

Av. Pedro Álvares Cabral, 201 – Ibirapuera – SP

Portal CTB

Denúncias chegam em José Agripino Maia (DEM-RN)

O DEM pode sofrer mais um constrangimento. O presidente do partido, senador José Agripino Maia (RN), acaba de ser envolvido em uma investigação do Ministério Público do seu estado. Os promotores investigam um esquema de corrupção que, nos últimos 20 anos, teria desviado R$ 1 bilhão dos cofres do Detran potiguar. Em depoimento, um dos suspeitos de participar do esquema, José Gilmar de Carvalho Lopes, afirmou que Agripino teria recebido R$ 1 milhão em doações de campanha oriundas dos desvios. Também teria sido beneficiado pelas doações, Carlos Augusto Rosado, marido da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). As negociações teriam sido feitas pelo advogado George Olímpio, sócio do ex-senador tucano João Faustino no esquema. Faustino é suplente de Maia no Senado.

Igor Paulin

 

Fonte: Revista Época

%d blogueiros gostam disto: